Bombeiros têm "fio de esperança" na busca por sobreviventes

Segundo o porta voz do corpo de bombeiros de São Paulo, Marcos Palumbo, autoridades trabalham com uma vítima e que sobrevivência "seria milagre"

Capitão Palumbo deu coletiva próxima aos escombros

Capitão Palumbo deu coletiva próxima aos escombros

Caio Sandin/R7

O porta voz do corpo de bombeiros, capitão Marcos Palumbo, declarou que o trabalho de sua equipe no incêndio que derrubou um prédio no centro de São Paulo nesta madrugada se baseia em um desaparecido. Ele seria o homem que por poucos segundos não foi resgatado pelos oficiais. No momento em que ele estava sendo salvo com um corda por um bombeiro o prédio desabou. 

"Um fio de esperança de encontrar nem que seja apenas uma vítima motiva o corpo de bombeiros na busca", disse o capitão Palumbo, em coletiva concedida próxima aos escombros. Ele está desde o início da madrugada no local, trabalhando com sua equipe.

O capitão ainda afirmou que não trabalha mais com o número divulgado pelos próprios moradores de 45 pessoas não localizadas. Segundo Palumbo, do número dado por moradores, nove já se apresentaram ao corpo de bombeiros, reduzindo o número para 34.

Ele ainda disse que o registro do número de pessoas fica muito difícil já que havia ocupação, também, no segundo subsolo do edifício.

Segundo Palumbo, os bombeiros começarão as buscas manuais após 48 horas, com uso de cães e câmeras sensíveis ao calor. As buscas e a presença dos bombeiros no local devem durar pelo menos uma semana.

Sobre a causa do incêndio, Palumbo não diz que ainda é cedo para falar de hipóteses. "Sem indícios de como o fogo se iniciou, mas criminoso ou não as condições seriam as mesmas."