Novo Coronavírus

São Paulo Bruno Covas afirma que "está bem, sem dor" apesar da covid-19

Bruno Covas afirma que "está bem, sem dor" apesar da covid-19

Em vídeo, o prefeito de SP afirmou que está tomando azitromicina no tratamento. Ele ressaltou que está sem sintomas e trabalha de casa

  • São Paulo | Joyce Ribeiro, do R7

Prefeito afirmou que está sem febre, dor ou falta de ar apesar da covid-19

Prefeito afirmou que está sem febre, dor ou falta de ar apesar da covid-19

Reprodução / Arquivo Pessoal

Com o diagnóstico de covid-19, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), está em isolamento em casa, mas participa virtualmente de reuniões. Na noite desta segunda-feira (15), ele postou um vídeo nas redes sociais e agradeceu as mensagens de apoio recebidas até agora: "Hoje fiz home office, sigo sem dor, sem febre, sem falta de ar. A orientação é ficar dentro de casa isolado".

Em nome da transparência, o prefeito afirmou que está usando azitromicina no tratamento: "Medicação a gente toma aquela prescrita pelo médico, não se trata de remédio de esquerda ou direita. É lamentável ter que politizar a questão do remédio no país. Isso não contribui em nada".

Leia mais: "O vírus escancarou a distorção social que temos em SP", diz Covas

Na gravação, Covas pediu que a população evite aglomerações, só saia de casa se for preciso, que use máscara e álcool em gel. "Vamos juntos atravessar essa pandemia", concluiu.

Nesta terça-feira (16), ele participa de videoconferências com secretários, vereadores e deputados. 

Após receber o resultado positivo para a covid-19, o prefeito ressaltou que iria trabalhar de casa pelos próximos 10 dias. O diagnóstico foi informado na tarde de sábado (13) pela prefeitura. 

Veja também: Governo de SP admite que possibilidade de 2ª onda 'existe'

Covas havia realizado quatro outros exames anteriormente e obteve resultados negativos para a covid-19. Na ocasião, ele enfatizou: "Não há necessidade de me licenciar do cargo de prefeito, vou poder me reunir de forma online, através da internet, vou poder continuar a trabalhar, mas dentro de casa."

Últimas