São Paulo Butantan detecta 19 variantes do novo coronavírus no Estado de SP

Butantan detecta 19 variantes do novo coronavírus no Estado de SP

Segundo estudo, cepa de Manaus é a predominante. Só na Grande São Paulo foram identificadas 13 variações do vírus

Agência Estado
Butantan detecta 19 variantes do novo coronavírus no Estado de São Paulo

Butantan detecta 19 variantes do novo coronavírus no Estado de São Paulo

Pixabay

A primeira edição de um mapeamento realizado pelo Instituto Butantan apontou a circulação de 19 variantes do novo coronavírus no Estado de São Paulo. Segundo os dados, coletados em laboratórios públicos e privados, a variante Gama (P.1), identificada pela primeira vez em Manaus, é predominante, mas há registros da Alfa (identificada no Reino Unido) e da B.1.1.28, que originou a Gama.

Nesta quarta-feira (16), o instituto lança o boletim epidemiológico da Rede de Alertas das Variantes, que será atualizado semanalmente e terá como foco detectar as cepas em circulação em São Paulo. Os dados são obtidos por meio do sequenciamento genômico de parte dos testes com resultado positivo realizados pelo Butantan e pelos laboratórios que integram a rede.

Esse primeiro levantamento utilizou dados de janeiro até o dia 29 de maio (21ª semana epidemiológica) e apontou que a variante Gama corresponde a 89,9% dos casos avaliados. "Foram sequenciados 4.812 (0,58%) genomas completos de 834.114 (39,2%) casos positivos", informa o instituto.

O DRS (Departamento Regional de Saúde) da Grande São Paulo teve o maior número de variantes identificadas, totalizando 13. Na sequência, vieram a DRS Sorocaba e a DRS Campinas, com oito e sete variantes, respectivamente.

Segundo o Butantan, o boletim vai permitir o acompanhamento da distribuição e evolução temporal da incidência das variantes, testes realizados por região, amostras positivas e o porcentual de resultados positivos encaminhados para sequenciamento genômico. Será possível ainda ver as frequências absolutas e relativas das linhagens do vírus por Departamento Regional de Saúde.

Os parceiros da rede são: Hemocentro de Ribeirão Preto/FMRP-USP, Mendelics, FZEA-USP/Pirassununga, Centro de Genômica Funcional (ESALQ-USP)/Piracicaba, Faculdade de Ciências Agrônomas UNESP/Botucatu e FAMERP São José do Rio Preto.

O Butantan também lidera a Rede de Laboratórios para Diagnóstico do Coronavírus SARS-CoV-2, que conta com 28 laboratórios públicos e um privado, que já realizaram quase 4 milhões de exames para detecção da covid-19 desde o início da pandemia. A rede tem como objetivo entregar, em um prazo de até 72 horas, os laudos a pacientes com suspeita de infecção pelo vírus.

Últimas