São Paulo Câmara de SP proíbe acesso ao público e retoma trabalhos virtuais

Câmara de SP proíbe acesso ao público e retoma trabalhos virtuais

Medida se deu devido ao agravamento da pandemia do novo coronavírus e tem prazo de 45 anos dias, podendo ser prorrogada

  • São Paulo | Do R7

Medidas foram alteradas nesta quarta-feira (3)

Medidas foram alteradas nesta quarta-feira (3)

Divulgação/Afonso Braga/Rede Câmara

A Câmara Municipal de São Paulo alterou nesta quarta-feira (3) suas medidas sanitárias e de distanciamento devido ao agravamento da pandemia de covid-19 na cidade. A partir de agora, está proibido o acesso ao público no local e será permitida a entrada de apenas a entrada de dois funcionários e dois estagiários por gabinete.

Segundo o vereador Milton Leite (DEM), presidente da Câmara, as novas restrições têm prazo de 45 dias, que poderá ser prorrogado.

As sessões plenárias e reuniões de comissões serão realizadas, a partir desta quarta, somente de forma virtual.

Haverá, ainda, um sistema de rodízio entre os funcionários dos setores administrativos da casa.

"A Câmara vai continuar trabalhando e debatendo os temas de interesse da cidade. Não haverá prejuízo para as votações dos projetos, que serão virtuais. Serei tolerante e paciente na condução das sessões virtuais para que seja possível votar tudo o que for necessário, com respeito ao debate e com amplo direito à oposição", disse Milton Leite.

No ambiente físico do plenário da Câmara, estará presente somente o vereador que presidir os trabalhos de cada sessão, e as votações deverão ser feitas pelo Sistema do Plenário Virtual da Câmara Municipal de São Paulo, o meio exclusivo utilizado entre março e junho do ano passado.

Últimas