São Paulo Cartão E-Fácil não será aceito no sistema de transporte público de SP

Cartão E-Fácil não será aceito no sistema de transporte público de SP

Medida começa a valer a partir de 1º de janeiro. Créditos poderão ser transferidos para o bilhete único comum com cadastro

  • São Paulo | Do R7

Cartão E-Fácil deixa de ser aceito em catracas do transporte público

Cartão E-Fácil deixa de ser aceito em catracas do transporte público

Divulgação / Sidnei Santos / SPTrans

Quem ainda possui o cartão E-Fácil para pagamento da tarifa no sistema de transporte público vai precisar fazer um novo bilhete único comum cadastrado, que pode ser utilizado nos ônibus municipais e nos trens da CPTM e do Metrô. A medida começa a valer a partir de 1º de janeiro.

O bilhete único permite ao passageiro realizar quatro embarques em ônibus diferentes ao custo de uma tarifa em um período de três horas ou três ônibus mais um acesso nos trilhos ao custo de uma tarifa integrada. 

Por ser um cartão sem identificação, o passageiro terá que fazer um novo bilhete único. Para isso, é preciso realizar o cadastro no site da SPTrans.

Os saldos remanescentes no cartão E-Fácil não serão perdidos e poderão ser transferidos para o novo bilhete.

Quem já possui um bilhete único com nome e CPF só precisa solicitar a transferência dos créditos pelo link https://www.sptrans.com.br/trocabilhete. Segundo a SPTrans, a transferência ou emissão da primeira via do bilhete não tem custos ao passageiro.

O cartão E-Fácil não tem cadastro e foi criado para incentivar a integração entre carros e o sistema de transporte. Era também utilizado em estacionamentos e concedia duas viagens no transporte público, durante o período em que o veículo permanecia estacionado. Com o término da parceria com os estacionamentos, o cartão perdeu a função.

Últimas