São Paulo Casa onde três crianças morreram queimadas corre risco de desabar

Casa onde três crianças morreram queimadas corre risco de desabar

Duas das vítimas tinham 3 anos e uma, 5 anos. No imóvel moravam duas famílias bolivianas. Outras 3 pessoas inalaram fumaça

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Casa onde três crianças morreram queimadas corre risco de desabar, segundo Defesa Civil

Casa onde três crianças morreram queimadas corre risco de desabar, segundo Defesa Civil

Reprodução Record TV

A casa onde três crianças morreram carbonizadas em um incêndio na Vila Guilherme, zona norte de São Paulo, corre risco de desabar devido a estruturas de madeira, segundo a Defesa Civil. No imóvel moravam duas famílias de bolivianos. As informações são da Record TV

O acidente doméstico ocorreu por volta das 17h15 desta sexta-feira (2) em uma casa que fica na rua Euchário Rebouças Carvalho. Duas das vítimas tinham 3 anos e uma, 5 anos. Outras três pessoas foram socorridas após inalar fumaça, uma delas também criança.

O incêndio teria sido provocado pelas próprias crianças durante uma brincadeira. Elas teriam colocado fogo em um pedaço de papel. As chamas se alastraram rapidamente e não houve tempo para que deixassem o imóvel. 

Os corpos das crianças foram encontrados após equipes do Corpo de Bombeiros controlarem as chamas. Atuaram no local 17 viaturas.

A mãe de 23 anos não pode fazer nada. Segundo o boletim de ocorrência, ela estava na cozinha fazendo um chá quando saiu do cômodo por um momento e, ao voltar, foi surpreendida por uma fumaça em grande quantidade e ouviu os gritos das crianças.

Ela foi até os fundos do imóvel e pediu ajuda do cunhado, mas, quando ele chegou, não havia mais condições de socorrer as vítimas. As crianças teriam corrido na direção errada e não conseguiram escapar do fogo.  

Um carro que estava na garagem ficou também destruído e foi retirado às pressas para evitar uma explosão por causa do combustível.

O caso

Uma vizinha contou ao Cidade Alerta, da Record TV, que sentiu cheiro de queimado, ouviu gritos e uma explosão. "Quando a gente ouviu a explosão e os bombeiros chegando, eu vi a mãe gritando desesperadamente na rua", diz a testemunha. As vítimas eram dois irmãos e uma terceira criança, segundo testemunhas.

De acordo com informações preliminares, nos fundos da residência, funcionava uma confecção.

Um outro vizinho contou que ouviu uma explosão e viu uma fumaça espessa saindo do imóvel. Ele e outros vizinhos se juntaram para arrombar o portão, que estava trancado com uma corrente. Não foi possível salvar as crianças. O grupo apenas conseguiu virar o carro, que estava na entrada da casa, para evitar uma nova explosão.

Os corpos das três crianças estão no IML (Instituto Médico Legal) Central e ainda não foram retirados pelos familiares.

Últimas