São Paulo Caso Ísis: mãe diz não ter pedido socorro por medo de retaliação

Caso Ísis: mãe diz não ter pedido socorro por medo de retaliação

Polícia retoma buscas pelo corpo da menina Ísis Helena no rio do Peixe, em Itapira, no interior de São Paulo, na manhã desta quinta-feira (23) 

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Mãe de menina Ísis Helena diz que sentiu medo de pedir socorro

Mãe de menina Ísis Helena diz que sentiu medo de pedir socorro

Reprodução

A mãe da garota Ísis Helena, desaparecida há mais de 50 dias na cidade de Itapira, no interior de São Paulo, disse em depoimento à polícia que não pediu socorro ao perceber que a criança estava morta por temer retaliações da família do pai da garota. As informações são da Record TV

Presa temporariamente, Jennifer Natália Pedro afirmou que chegou a pensar em chamar o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), mas sentiu medo do que poderia acontecer já que a família do pai "vivia fazendo denúncias mentirosas no Conselho Tutelar, dizendo que batia nela."

Leia mais: Após confissão da mãe, polícia faz buscas por corpo de Ísis Helena

A polícia retomou na manhã desta quinta-feira (23) as buscas pelo corpo da menina Ísis Helena no rio do Peixe, em Itapira, no interior de São Paulo. Mas, desde o início das operações a forte correnteza tem atrapalhado o trabalho nos 10 quilômetros de extensão do rio.

Jenifer Natália afirmou que se desesperou ao ver a menina morta, mas sustenta que não teve culpa pelo óbito. Segundo ela, teria participação na ocultação do corpo da filha.

Leia mais: Mãe de Ísis Helena é presa suspeita do desaparecimento da filha

À polícia, ela contou que a filha estava com febre e que deu uma quantidade de remédio maior do que a indicada. Depois disso, a criança nunca mais acordou. Desesperada e com medo, ela teria colocado o corpo da filha em uma mochila, que foi abandonada às margens do rio do Peixe.

Jenifer indicou à polícia a localização exata de onde deixou a criança. A corrronteza tem atrapalhado nas buscas e as áreas de mata ao redor do rio também está sendo investigada.

Últimas