São Paulo Celular com vídeo de assassinato provoca prisão de suspeito em SP

Celular com vídeo de assassinato provoca prisão de suspeito em SP

Veículo de suspeito aparecia em imagem que mostra um comerciante sendo executado dentro do próprio bar, na zona norte de SP, no domingo (29)

  • São Paulo | Laura Lourenço, da Agência Record

Comerciante foi executado dentro do próprio bar

Comerciante foi executado dentro do próprio bar

Reprodução/Record TV

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) prendeu um suspeito de participar da morte do comerciante Francisco Fagner Alves da Silva, na tarde do último domingo (29), dentro do próprio bar e na frente das filhas, na Vila Maria, zona norte de São Paulo. O homem foi preso porque tinha o vídeo do assassinato salvo no celular.

Nas imagens no aparelho do suspeito, a polícia identificou o carro que ele utilizava para deixar São Paulo. Aos policiais, o detido disse que estava indo para Belo Horizonte, no aniversário da mãe de um amigo. Ele foi abordado na altura do km 7 da rodovia Fernão Dias, em Vargem, interior paulista.

Policiais rodoviários federais realizavam fiscalização na praça de pedágio de Vargem quando abordaram um veículo Honda Fit, cor branca, com rodas pretas, conduzido por um homem de 36 anos. Na abordagem, ele disse que o veículo teria sido emprestado por outro amigo.

Ainda segundo a PRF, o motorista do carro não era o mesmo que cometeu o crime, aumentando a suspeita de que o abordado estaria levando o carro para longe, após ser utilizado no crime. Perguntado sobre seu envolvimento no homicídio, o homem ficou calado.

De acordo com a PRF, o suspeito ofereceu seu celular para ser vistoriado. No aparelho havia o vídeo que mostrava a execução, compartilhado através de um aplicativo de troca de mensagens.

O veículo que aparecia no vídeo era idêntico ao abordado. Características únicas do carro, como as rodas pintadas de preto e adesivos na parte superior do vidro traseiro, ajudaram a confirmar a suspeita dos agentes.

O homem foi apresentado no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa, em São Paulo, onde o Delegado de Polícia de plantão requisitou pela decretação de sua prisão temporária.

O crime é investigado por meio de inquérito policial instaurado pela Divisão de Homicídios do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa). Após solicitação da autoridade policial, ele teve a prisão temporária de 30 dias decretada pela Justiça, permanecendo detido em uma unidade carcerária.

De acordo com o DHPP, após o Delegado de Polícia de plantão requisitar pela sua prisão temporária, o preso foi transferido para a carceragem do 77° Distrito Policial, onde permanecerá por 30 dias.

O caso

Policiais militares foram acionados para atender a uma ocorrência de disparos de arma de fogo e no local em um bar na Vila Maria. No local, já encontraram a vítima Francisco Fagner Alves da Silva já sem vida.

Segundo a Polícia Militar, Francisco levou cerca de 10 tiros na região da cabeça e morreu no local. A PM não soube dar outros detalhes do caso.

De acordo com a esposa da vítima, o casal e alguns familiares almoçavam no local, quando o marido saiu para colocar comida para um cachorro do lado de fora do estabelecimento e foi baleado.

Dentro do estabelecimento foram encontradas máquinas caça-níqueis que foram apreendidas, assim como noteiros, cartões de memória e uma quantia em dinheiro que estava no interior dos equipamentos. Foi requisitada perícia para o local dos fatos e para os objetos.

O corpo de Francisco será sepultado nesta quarta-feira (2) no estado do Ceará. O Serviço Funerário não soube dar outros detalhes e o IML Central se recusou a passar qualquer informação.

Últimas