São Paulo Chacina deixa cerca de 20 pessoas mortas em Osasco

Chacina deixa cerca de 20 pessoas mortas em Osasco

Segundo testemunhas, assassinos perguntaram quem tinha passagem pela polícia

  • São Paulo | Do R7, com Agência Record e Rede Record

Ao menos 21 pessoas morreram e 30 ficaram feridas em chacina ocorrida em bairros de Osasco e Barueri, na Grande São Paulo, entre a noite de quinta-feira (13) e a madrugada desta sexta-feira (14), segundo informações iniciais. Ainda de acordo com apuração preliminar, 17 pessoas morreram em Osasco e quatro em Barueri. 

O ataque com mais vítimas aconteceu em um bar de Osasco no Jardim Munhoz Junior. Um morador disse que um carro preto e outro prata participaram dos crimes. De acordo com testemunhas, os assassinos saíram dos carros, perguntaram quem tinha passagem pela polícia e começaram a atirar. 

Em depoimento, uma testemunha disse que o ataque foi feito por vários indivíduos. A testemunha disse que todos acharam que eles atirariam uma bomba no local. Ainda segundo uma testemunha, os atiradores estavam usando máscaras. 

Áudios de telefone recebidos pela Rede Record mostram o desespero da população. Em uma das gravações havia o recado: “não sai pra rua. Fique atento de olhos abertos. Tranque suas portas. Fiquem em casa”.

Outro áudio mostra o que seria uma ameaça: "Os caras quer guerra, vai ter guerra. A partir das 11 horas da noite. A gente vai sair a milhão e ninguém vai entender nada" (sic). 

Leia mais notícias de São Paulo

Em Barueri, foram ao menos quatro mortos em dois pontos diferentes da cidade. De acordo com a Guarda Civil de Barueri, o primeiro caso aconteceu por volta das 22h30 de quinta-feira, na Vila Engenho Novo. Um homem estava na rua quando suspeitos passaram em um carro e efetuaram cerca de dez tiros contra a vítima, que não resistiu e morreu no local. 

A 9 km de distância, por volta da 0h20, suspeitos passaram e atiraram contra pessoas que estavam em frente a um bar, no Parque dos Camargos. Duas pessoas morreram no local, e uma terceira foi socorrida por populares a um hospital da região, mas acabou morrendo durante a madrugada. Nem a PM e nem a Guarda Civil confirmam a ligação entre os dois casos. A perícia foi acionada e as mortes foram encaminhadas para a Delegacia Centra de Barueri e serão investigadas pelo DHPP (Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa). A delegada Elisabete Sato, do DHPP, estuda a possibilidade de se dirigir ao local com outras equipes do GEAcrim (Grupo Especializado em Assessoramento de Local de Crime) para apoiar as investigações. 

Últimas