China bloqueia 500 respiradores comprados pelo governo de SP

Equipamentos essenciais no tratamento de pacientes infectados pelo novo coronavírus foram bloqueados no aeroporto de Pequim

Técnico trabalha na fabricação de componentes para um respirador

Técnico trabalha na fabricação de componentes para um respirador

Alejandro García/EFE

A China bloqueou a chegada de 500 dos 3 mil respiradores adquiridos pelo governo de São Paulo e que seriam destinados a UTIs (Unidades de Terapia Intensiva). Os equipamentos, essenciais no tratamento de pacientes infectados pelo novo coronavírus, foram bloqueados no aeroporto de Pequim. A informação é do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia mais: Prefeito de SP anuncia rodízio de veículos de 24 h em dias alternados

A Grande São Paulo é o epicentro da doença no estado e tem quase 90% dos leitos de UTIs públicos ocupados. Segundo dados da Secretaria Estadual da Saúde, divulgados na quinta-feira (7), o índice de ocupação de 89,6% na região metropolitana. Em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, o secretário estadual da Saúde, José Henrique Germann informou que 3.767pacientes estão internados no Estado em unidades de terapia intensiva.

O governador de São Paulo, João Doria, comentou o bloqueio dos respeiradores em coletiva de imprensa desta sexta-feira (8), no Palácio dos Bandeirantes. "Não é um problema exclusivo do governo do estado. O ministro Nelson Teich também relatou esse problema", afirmou Doria.

"Os respiradores são os equipamentos mais requisitados, aumentou o preço e diminuiu a oferta, temos um escritório em Shangai e foi reestabelecido um cronograma para a chegada dos respiradores", afirmou Doria. Segundo o governador, uma parte dos equipamentos deve chegar até 30 de maio. "Autorizei a busca por outras fontes que possam ser utilizadas nesse momento de urgência."