São Paulo Cidade de São Paulo torna telemedicina permanente no SUS

Cidade de São Paulo torna telemedicina permanente no SUS

Prática que facilita o atendimento e compartilha informações entre profissionais da saúde foi sancionada pelo prefeito Ricardo Nunes

  • São Paulo | Do R7

Telemedicina facilita o atendimento e o compartilhamento de informações dos pacientes

Telemedicina facilita o atendimento e o compartilhamento de informações dos pacientes

Pixabay

O prefeito Ricardo Nunes (MDB) sancionou nesta terça-feira (23) o projeto de lei que define a prática da telemedicina de forma permanente na rede SUS (Sistema Único de Saúde) na capital paulista.

O sistema, que permite ao médico atender virtualmente o paciente em qualquer hora, data e local, existe desde 2002, mas ganhou destaque durante a pandemia do novo coronavírus.

“A partir da sanção da lei, conseguiremos complementar os atendimentos dos serviços do SUS através de videochamadas; acompanhar e monitorar pacientes com doenças crônicas, pós-cirúrgicos, pré-natal, neonatal, entre outros; reduzir as filas e o tempo de espera em atendimentos de consulta e acompanhamento médico, mantendo o distanciamento social e assim desafogando o sistema”, explica o vereador Sansão Pereira (Republicanos), autor do projeto.

Além de agilizar a comunicação entre profissionais da medicina, a telemedicina vai “evitar deslocamentos desnecessários de pacientes e profissionais de saúde, promovendo a oferta de médicos e especialistas em locais remotos de difícil acesso, e melhorar o aproveitamento das equipes, da infraestrutura e dos sistemas já existentes”, complementa Pereira.

Sete em cada dez paulistanos não têm plano de saúde, segundo pesquisa da Rede Nossa SP. Com a decisão, a cidade de São Paulo será a primeira no país a regulamentar e implantar de forma permanente essa forma de atendimento de saúde ao público.

Últimas