Coronavírus

São Paulo Cidade de SP reduz intervalo entre doses da Pfizer para oito semanas

Cidade de SP reduz intervalo entre doses da Pfizer para oito semanas

Medida passa a valer nesta sexta-feira (24). Permanece a vacinação de adolescentes e de idosos com mais de 80 anos com 3ª dose

Cidade de São Paulo reduz intervalo de doses da Pfizer para oito semanas

Cidade de São Paulo reduz intervalo de doses da Pfizer para oito semanas

ERIK S. MENOR/EFE/EPA

A partir desta sexta-feira (24), a cidade de São Paulo passa a adotar o intervalo de oito semanas entre a primeira e a segunda dose da vacina da Pfizer. Até então, eram 12 semanas. Assim, todas as pessoas que passaram o prazo estão aptas a receber a segunda dose do imunizante na capital.

O intervalo para segunda dose da AstraZeneca está mantido em 12 semanas e 28 dias para CoronaVac. A medida respeita a orientação dos programas Nacional e Estadual de Imunizações.

Nesta quinta e sexta-feira (23 e 24), a vacinação continua para adolescentes de 12 a 17 anos, além da aplicação de dose adicional para idosos acima de 80 anos que tomaram a segunda dose ou a dose única há mais de seis meses. A vacinação também está disponível para pessoas com mais de 18 anos que tenham alto grau de imunossupressão.

Xepa da vacina

A redução de intervalo entre as vacinas também pode ocorrer por meio da xepa, sendo 30 dias de intervalo em relação à primeira dose da AstraZeneca e da Pfizer, e 15 dias para a CoronaVac.

As doses remanescentes também são destinadas aos trabalhadores da saúde com mais de 18 anos que tomaram a segunda dose ou dose única há pelo menos seis meses, exceto gestantes e puérperas. As inscrições podem ser feitas em qualquer UBS (Unidade Básica de Saúde).

Os trabalhadores precisam apresentar comprovante de vínculo empregatício em serviço de saúde do município de São Paulo, documento de conselho de classe, comprovante de profissão, certificado ou diploma.

Os idosos com mais 60 anos também podem se inscrever para a dose adicional, desde que tenham recebido a segunda dose há pelo menos seis meses.

Cada unidade de saúde deve organizar uma lista de espera com os nomes dos usuários da área de abrangência, que atendam aos critérios de intervalo entre as doses, com telefones para convocação.

Pode se inscrever quem mora, estuda ou trabalha na região. É necessário apresentar comprovante de residência. O chamamento é realizado por ordem de inscrição.

A orientação da Secretaria Municipal de Saúde é que nenhuma dose de vacina seja desperdiçada.

Últimas