Coronavírus

São Paulo Cidades de SP adotam medidas contra quem escolher vacinas

Cidades de SP adotam medidas contra quem escolher vacinas

Rio Grande da Serra, Osasco e Embu das Artes colocam no fim da fila ou bloqueiam cidadãos que escolhem imunizante

  • São Paulo | Letícia Dauer, da Agência Record

Munícipes esperam em fila para vacinação na UBS Malta Cardoso, na zona oeste

Munícipes esperam em fila para vacinação na UBS Malta Cardoso, na zona oeste

Ronaldo Silva / Estadão Conteúdo / 01.07.2021

Além de São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul, os municípios de Rio Grande da Serra e Osasco afirmaram que vão enviar para o fim da fila o cidadão que escolher o fabricante da vacina contra covid-19 e se recusar a tomar o imunizante.

Em Embu das Artes, os pacientes que recusarem a vacina são bloqueados no sistema e só podem realizar o reagendamento, quando a faixa etária for ampliada. Esse procedimento foi adotado há 10 dias pela Secretária Municipal de Saúde.

Enquanto Carapicuíba e Guarulhos afirmaram que estão estudando a possibilidade de implantação do sistema de enviar os munícipes que quererem escolher o imunizante para o fim da fila.

A cidade de Poá também estuda adotar ações para coibir este tipo de atitude, porém não foram definidas até o momento. São Paulo, Pirapora do Bom Jesus, Arujá, Francisco Morato, Cotia, Ribeirão Pires, Itapecerica da Serra, Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba, Barueri, Suzano, Taboão da Serra, Santo André, Mairiporã e Itapevi não vão adotar nenhuma medida.

São Caetano do Sul

Em São Caetano do Sul, a estratégia da prefeitura começou a vigorar nesta quinta-feira (1º). Para a administração municipal, os chamados 'sommeliers de vacina' travam o andamento da vacinação. "Mais do que isso, colocam em risco as próprias vidas e também as de todos à sua volta. Uma ameaça à vacinação em massa, que é a única forma de combate efetivo à covid-19", declarou a prefeitura por meio de nota

"A pandemia e a desinformação criaram este novo tipo novo de profissional, o sommelier de vacina. Aquele que, após poucos minutos de pesquisa na internet, se considera apto a dizer qual vacina é a melhor, como se fosse um pesquisador renomado em imunologia", identifica o prefeito Tite Campanella.

"Não há vacina melhor ou pior. Todos os imunizantes autorizados pela Anvisa são seguros e com eficácia muito semelhante. Não justificando, portanto, qualquer diferenciação", ressaltou.

De acordo com o calendário estadual, os moradores com 18 a 24 anos receberão a primeira dose até 15 de setembro. É somente após a vacinação de toda a população adulta que as pessoas que se recusarem a tomar a vacina (seja ela de qual laboratório for) poderão fazer o reagendamento, e sem qualquer garantia de que a de sua preferência estará disponível.

Para tentar impedir que a população escolha, a prefeitura deixou de informar antecipadamente a origem do imunizante a ser aplicado em cada grupo. Agora, as pessoas só tomam conhecimento de qual vacina receberá no momento da aplicação.

São Bernardo do Campo

O prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando, afirmou que quem se recusar a tomar vacina contra covid-19 a partir desta quinta-feira (01) será colocado no final da fila de vacinação do município. A cidade, atualmente, vacina as pessoas entre 40 e 49 anos com agendamento prévio.

O prefeito afirmou o município aplica os quatro tipos de vacina (AstraZeneca, Pfizer, Janssen e Coronavac) e que só na terça-feira (29), cerca de 200 pessoas se recusaram a tomar o antiviral. Orlando disse que hoje a taxa de ocupação é de 52% dos leitos de UTI para covid-19, sendo a menor depois das maiores ondas de contaminação do vírus na cidade.

Osasco

A Secretaria de Saúde de Osasco afirmou que elabora uma portaria interna com prazos de vacinação por faixa etária, datas limites que deverão ser seguidas pela população. Os munícipes que não receberem a vacina dentro deste período poderão se vacinar somente nos dias de "Campanha e/ou Repescagem de Vacinação Contra a Covid-19".

Em caso de recusa ou insistência do paciente em receber uma vacina de fabricante especifico, as unidades irão aplicar o termo de recusa e o paciente será encaminhado para o fim da fila de vacinação.

Rio Grande da Serra

A Secretária de Saúde de Rio Grande da Serra afirmou não ter registrado esses casos. "A população vem sendo vacinada de acordo com o cronograma e com o tipo de vacina disponível no momento da aplicação. Nossas equipes estão orientando os moradores sobre a necessidade e a importância da vacinação."

Caso ocorram, a secretaria informou que irá registrar o caso e o morador assinará um termo de que está ciente da desistência da vacina naquela ocasião e que ele entrará no final da fila com a presença de duas testemunhas.

Últimas