São Paulo Cidades do ABC vão mandar para o fim da fila quem escolher vacina

Cidades do ABC vão mandar para o fim da fila quem escolher vacina

Decisão é das prefeituras de São Bernardo e de São Caetano. Cidadão só receberá imunizante após vacinação do restante

  • São Paulo | Do R7

Duas cidades do ABC Paulista vão mandar para o fim da fila quem escolher vacina contra covid

Duas cidades do ABC Paulista vão mandar para o fim da fila quem escolher vacina contra covid

Reprodução/Agência Brasil - 29.06.2021

As pessoas que escolherem qual vacina contra a covid-19 querem tomar vão para o fim da fila, de acordo com as prefeituras de São Bernardo do Campo e São Caetano, no ABC Paulista. A estratégia entra em vigor já nesta quinta-feira (1º) e é destinada às pessoas que perguntam qual o laboratório de origem do imunizante.

De acordo com a Record TV, caso o cidadão perguntasse na unidade de saúde qual era a vacina aplicada, a equipe solicitaria que assinasse um termo de responsabilidade. Caso a pessoa se negar, serão chamadas duas testemunhas para assinar o documento por ela. Com isso, o imunizante só será administrado quando terminar a campanha de vacinação para maiores de 18 anos.

A medida já é adotada em Portugal. Segundo a Prefeitura de São Caetano, "os chamados sommeliers de vacina travam o bom andamento da vacinação, colocam em risco as próprias vidas e também a de todos". 

De acordo com o calendário estadual de imunização, os moradores com 18 a 24 anos receberão a primeira dose até 15 de setembro. Somente após a vacinação de toda a população adulta, que as pessoas que se recusaram a tomar a vacina poderão fazer o reagendamento, e sem qualquer garantia de preferência.

“A pandemia e a desinformação criaram este novo tipo de profissional que, após poucos minutos de pesquisa na internet, se considera apto a dizer qual vacina é a melhor, como se fosse um pesquisador renomado em imunologia”, ressaltou o prefeito de São Caetano, Tite Campanella.

Todos os imunizantes autorizados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) são seguros e com eficácia semelhantes. 

As prefeituras também deixaram de informar antecipadamente a origem do imunizante a ser usado em cada grupo. Agora as pessoas só tomam conhecimento no momento da aplicação.

“A melhor vacina é a que está no seu braço”, reforçou a secretária municipal de Saúde, Regina Maura Zetone.

Últimas