Colômbia oferece 'voo humanitário' pago a grupo que mora em Cumbica

Governo do país sul-americano anunciou que sai no dia 28 um avião comercial; há mais de 180 colombianos no aeroporto de Guarulhos

Voo que sai no dia 28 terá que ser pago por imigrantes

Voo que sai no dia 28 terá que ser pago por imigrantes

JOãO NOGUEIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O grupo de colombianos que tem passado a pandemia nos corredores do aeroporto de Guarulhos (Cumbica), na Grande São Paulo, deve ficar um pouco menor a partir do dia 28. Isso se eles arranjarem dinheiro para pagar o suposto voo humanitário.

Colombianos pedem ajuda para deixar corredores do aeroporto

Segundo o governo da Colômbia, sairá nesse dia um avião comercial do Brasil para levar os imigrantes de volta. O anúncio do voo, no entanto, deixa claro que as passagens precisam ser pagas pelos colombianos, o que não resolve o problema da maioria.

O anúncio diz ainda que os moradores do país que desembarcarem terão de ficar em quarentena, sob pena de sanções administrativas e penais para quem descumpri-la.

O R7 tentou contato com o consulado da Colômbia em São Paulo, mas os telefones, fixos, só deram ocupado e não houve retorno pelas redes sociais. 

Mais de 180 colombianos ainda residem no aeroporto. Trinta e três deles devem deixar o local nesta quarta-feira (17), segundo o grupo Conectados do Terceiro Setor, que ajudou a pagar as passagens. 

Mesmo tendo recebido proposta da secretaria de Assistência Social de Guarulhos e de São Paulo para se hospedar em albergues durante a pandemia da covid-19, muitos imigrantes continuam no local, em protesto, exigindo de seu governo a volta gratuita para sua terra natal. 

Eles decidiram acampar ali no início de maio. São, na maior parte, colombianos que viviam em São Paulo e perderam o emprego por causa da paralisação da economia motivada pela pandemia do novo coronavírus.