São Paulo Com 36,4°C, cidade de SP tem quinta maior temperatura para outubro

Com 36,4°C, cidade de SP tem quinta maior temperatura para outubro

Capital paulista teve novo recorde de temperatura nesta terça-feira (6). Onda de calor só deve diminuir a partir da próxima sexta (9)

  • São Paulo | Do R7

Calor no interior de São Paulo deve ser ainda mais intenso, com máximas de até 40°C

Calor no interior de São Paulo deve ser ainda mais intenso, com máximas de até 40°C

RENATO S. CERQUEIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO- 01/10/2020

A cidade de São Paulo registrou temperatura máxima de 36,4°C nesta tarde de terça-feira (6), a quinta maior para outubro na história da capital, superando os 35,9°C registrados na segunda-feira (5).

Na última sexta-feira (2), a capital paulista registrou 37,4°C, maior temperatura do ano e a segunda marca da série histórica das medições feitas pelo Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) desde 1943, no Mirante de Santana, zona norte da cidade. O recorde de temperatura máxima na cidade ainda é do dia 17 de outubro de 2014, quando foi registrado 37,8 °C.

Com calor extremo na semana passada, entre quarta-feira (30), e sexta-feira, a cidade registrou sequência inédita de três dias com temperatura acima de 37°C. Na quarta e na quinta, a marca ficou em 37,1°C. Na sexta-feira, 37,4°C.

Maiores temperaturas da história (de todos os meses) registradas entre 1943 e 2020

37,8°C 17 de outubro de 2014

37,4°C 2 de outubro de 2020

37,1°C 30 de setembro de 2020 e 1° de outubro de 2020

37°C 20 de janeiro de 1999

Calor dura até sexta

A causa do intenso calor que assola grande parte do território brasileiro, ainda é um persistente bloqueio atmosférico que se instalou na área central do Brasil.

Segundo o Inmet, "os ventos com movimentos de cima para baixo em níveis médios até a superfície provocam tempo quente com máximas acima dos 40°C e baixa umidade, valores inferiores a 15%, principalmente do centro para o norte do Estado de São Paulo. O calor continua muito intenso até a próxima quinta-feira, 8.

Embora os dias quentes prossigam com força, ainda com potencial de recordes entre o centro-norte de São Paulo e o nordeste do Mato Grosso do Sul, gradual aumento de umidade virá em parte dos ventos de noroeste amazônicos que começam a ficar mais úmidos nesta época do ano.

Chuva mais generalizada também está prevista a partir da próxima quinta-feira e sobretudo a partir da sexta-feira (9) quando a umidade alcança o Centro e Sudeste do País.

Paulistanos se protegem como podem de calor recorde; veja fotos

Últimas