Com 89% das UTIs ocupadas, SP vai transferir pacientes para o interior

Secretário estadual da Saúde afirmou que medida é temporária, até a adequação da capacidade hospitalar na cidade de São Paulo

SP depende de ampliação dos leitos de UTI

SP depende de ampliação dos leitos de UTI

Marcello Chello/CJPress/Estadão Conteúdo - 27.4.2020

A capital paulista atingiu a ocupação de 89% dos leitos de UTIs disponíveis para o tratamento de covid-19, o que levará pacientes infectados por coronavírus, ou casos suspeitos, que precisem de terapia intensiva na Grande São Paulo a serem transferidos para o interior do estado.

Em entrevista nesta quinta-feira (30), o secretário estadual da Saúde, José Henrique Germann, acrescentou que fora da região metropolitana, a ocupação dos leitos de UTI é de 69,3%.

"Nós vamos adicionar recursos, insumos e leitos novos. Agora, como houve uma defasagem da chegada dos respiradores, nós temos que usar por um tempo essa transferência de pacientes para o interior. Depois isso volta novamente para a capital, que terá um número maior de leitos."

O governo do estado comprou na China 3.000 respiradores, principal equipamento usado para manter estáveis pacientes com quadros avançados da doença causada pelo coronavírus. Ontem, o governador João Doria afirmou que as primeiras 500 unidades chegariam ainda esta semana. 

Leia também: SP vive fase de aceleração da epidemia, afirma Dimas Covas

Germann ressaltou que essa taxa de ocupação leva em conta apenas os leitos destinados exclusivamente a casos de covid-19 e que os pacientes irão para "um interior muito próximo, junto da área metropolitana de São Paulo".

"Precisamos lançar mão disso, pelo menos por alguns dias."

Em todo o estado, 1.744 pessoas com covid-19 estão internadas em UTI. Outras 2.138 permanecem em enfermaria, de acordo com as informações atualizadas nesta quinta-feira.

A região metropolitana de São Paulo, que inclui 39 dos 645 municípios paulistas, respoonde por 85% dos casos confirmados de covid-19 no estado. 

Nesta quinta-feira, a Secretaria de Estado da Saúde registrava 28.698 casos e 2.375 óbitos por covid-19.