Coronavírus

São Paulo Começa vacinação contra gripe em SP em escolas e postos de saúde

Começa vacinação contra gripe em SP em escolas e postos de saúde

Campanha é voltada nesta fase a idosos e profissionais de saúde. Meta é atingir 1,8 milhão de pessoas na capital. Imunização é feita em áreas externas 

  • São Paulo | Joyce Ribeiro, do R7

Vacinação contra gripe é feita em áreas externas e escolas para evitar aglomeração

Vacinação contra gripe é feita em áreas externas e escolas para evitar aglomeração

Reprodução / Record TV

A campanha de vacinação contra a gripe na cidade de São Paulo começou nesta segunda-feira (23) para idosos e profissionais de saúde. A meta é imunizar um milhão e 800 mil pessoas nesta primeira fase, mas o objetivo, com a antecipação da campanha, é chegar a 90% da população da capital vacinada.

Estão abertas 468 UBSs (Unidades Básicas de Saúde) das 7h às 19h de segunda a sexta-feira. As AMAs (Assistência Médica Ambulatorial) oferecem a vacina também aos finais de semana. Estão sendo distribuídas na cidade 20 tendas de parceiros da Secretaria da Saúde e das subprefeituras, além de outras 90 que foram solicitadas à SP Turis.

Leia mais: Doria determina quarentena em todos os municípios de SP

Em coletiva, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, afirmou que os locais de vacinação foram desta vez ampliados: "As 450 escolas municipais que estão fechadas para os alunos vão ser usadas para aplicação da vacina. As equipes de saúde da família também vão vacinar as pessoas em casa. Até clubes de futebol vão ter imunização".

O secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, destacou que são 20.000 profissionais de saúde na cidade que terão o auxílio de 2.000 estagiários. "Vamos em asilos e faremos visitas aos idosos acamados, as equipes vão até as casas. Em todas as UBSs que tiverem áreas externas vamos atender lá para que as pessoas não precisem entrar nas unidades", explicou o secretário.

Veja também: "Adotaremos medidas policiais para evitar festas no estado", diz Doria

Os cuidados foram reforçados para evitar aglomerações em meio à pandemia de coronavírus. Nos postos de saúde, foram feitas marcações no chão para que as pessoas mantenham uma distância segura nas filas. A vacina será aplicada também em associações de moradores, organizações sociais, casas de repouso, escolas de samba, entre outros locais.

O secretário de saúde ressaltou que os idosos devem ser vacinados contra a gripe para que, ao apresentar depois os sintomas, não seja confundido com a covid-19: "O quadro clínico é semelhante. Mas os médicos vão perguntar se o paciente tomou a vacina da gripe, assim não há confusão na avaliação médica".

Leia ainda: Governo de São Paulo entrega 38 leitos de UTI no Hospital das Clínicas

Drive Thru

Cada unidade de saúde vai poder montar estruturas que possibilitem a agilização da aplicação da vacina. Na UBS Max Perlman, na Vila Nova Conceição, além da tenda, também foi liberada uma das faixas de trânsito pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), para o drive thru. No local, os motoristas encostavam o carro, passavam por uma triagem e eram vacinados sem sair do carro.

Etapas

Nessa primeira etapa, serão vacinados idosos e trabalhadores da área da saúde. A segunda fase, a partir de 16 de abril, é voltada para doentes crônicos, professores e profissionais das forças de segurança e salvamento.

A partir de 9 de maio (dia "D" de mobilização nacional), serão incluídas na vacinação crianças de 6 meses a menores de 6 anos, pessoas com 55 a 59 anos, gestantes, puérperas (que está até 45 dias após o parto), pessoas com deficiência, povos indígenas, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, além da população privada de liberdade.

Últimas