Comerciantes do centro de SP pedem por reabertura ao governo

Associações se comprometem a adotar novo protocolo de vendas com medidas de prevenção ao novo coronavírus em caso de volta às vendas

Associações citam
 demissões e fechamento de estabelecimentos

Associações citam demissões e fechamento de estabelecimentos

DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO CONTEÚDO- 19/12/2016

Comerciantes da região central de São Paulo vêm se mobilizando pela reabertura de suas lojas, fechadas desde o final de março, quando entrou em vigor a quarentena em todo o estado de São Paulo. A mais recente iniciativa foi um apelo à Secretaria de Segurança Pública feito por associações que representam 80.000 lojistas da área, junto a uma sugestão de protocolo de vendas para a prevenção contra o novo coronavírus

Leia mais: Saiba como se proteger e tire suas dúvidas sobre o novo coronavírus

Um pedido pela retomada das atividades foi entregue à secretaria na segunda-feira (18) pela Univinco (União dos Lojistas da 25 de Março), junto com a Alobrás (Associação de Lojistas do Brás) e as Câmaras de lojistas do Bom Retiro e da Santa Ifigênia. Desde o início de abril, o grupo faz o pedido às esferas do governo estadual e municipal, sem conseguir ser atendido. 

Entre as medidas do protocolo de vendas sugerido estão o fornecimento de máscaras, luvas e álcool em gel aos funcionários e clientes, o distanciamento de 1,5 m dentro das lojas, a limitação de pessoas nos estabelecimentos a no máximo dez e a adoção de um horário reduzido de trabalho. 

No dia 18, o grupo conseguiu se reunir com o secretário de Segurança Pública, General Camilo. Segundo o advogado Alexandre Porto, que assinou o requerimento, o secretário afirmou na reunião que levaria o ofício para a análise do governador João Doria. 

O estado de São Paulo é o epicentro da pandemia do novo coronavírus no Brasil, com 69.859 casos de covid-19 e 5.363 mortes provocadas pela doença até esta quarta-feira (20).

O grupo de lojistas enfatiza o dano econômico causado pela pandemia, citando demissões em massa e o fechamento de estabelecimentos da área. Nesta semana, a Câmara dos Vereadores de São Paulo começou a discutir projeto de lei para conciliar medidas de saúde pública com a volta das atividades econômicas.

Leia mais: Governo de SP nega decreto de lockdown que circula na internet

Contudo, atualmente São Paulo ainda tenta promover a ampliação do isolamento social, que incluiu a tentativa de adoção de um novo rodízio, a retomada do rodízio antigo e a antecipação de feriados municipais e estaduais. Com votação marcada para esta quinta-feira, outro projeto de lei pode estender o feriado prolongado, que vigora desde quarta (20), até a próxima segunda-feira (25).

Veja a movimentação nas ruas de São Paulo durante o feriado:

*Estagiário do R7, sob supervisão de Clarice Sá