São Paulo Comércio de rua e imobiliárias reabrem por 4 horas nesta quarta

Comércio de rua e imobiliárias reabrem por 4 horas nesta quarta

Prefeito assinou nesta terça-feira (9) termo de compromisso com comércios e imobiliárias, que deverão funcionar com novas regras sanitárias 

 Preparativos em loja da Rua José Paulino, no bairro do Bom Retiro

Preparativos em loja da Rua José Paulino, no bairro do Bom Retiro

TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO CONTEÚDO- 09/06/2020

O prefeito Bruno Covas assinou nesta quarta-feira (9) termo de compromisso com 27 entidades representativas de imobiliárias e do comércio de rua para confirmar a reabertura de mais dois setores na cidade de São Paulo, classificados na fase laranja (fase 2) do Plano São Paulo.

Leia também: Capital de São Paulo tem isolamento de 48% nesta terça-feira (9)

Cinco entidades do setor imobiliário e 22 entidades do comércio assinaram o termo. O comércio poderá abrir as portas entre 11 horas e 15 horas. As imobiliárias vão abrir 4 horas por dia, desde que o horário de funcionamento (abertura e fechamento) não ocorra durante o horário de pico.

Segundo a prefeitura, as entidades se comprometeram a cumprir medidas de distanciamento social, higiene, limpeza de ambientes, orientação dos clientes e dos colaboradores, testagem de colaboradores e medição de temperatura dos clientes.

As novas diretrizes também devem garantir novos horários alternativos de funcionamento, redução do expediente, sistema de agendamento para atendimento, protocolo de fiscalização e monitoramento do próprio setor (autotutela). Além de esquema de apoio para os funcionários que não tenham quem cuide de seus dependentes no período de suspensão das atividades presenciais da educação e da assistência social.

Na próxima quinta-feira (11), os shoppings devem ser reabertos na capital. Assim como os comércios, os estabelecimentos devem operar sob novas regras para prevenir o contágio do novo coronavírus: funcionamento por 4 horas, com 20% da capacidade. No caso dos shoppings, as praças de alimentação devem ficar fechadas.

Na sexta-feira da semana passada (5), voltaram às atividades as concessionárias de veículos e os escritórios de prestação de serviços. Desde o dia 1º de junho, a prefeitura recebeu 107 propostas de protocolos sanitários para a reabertura, vindas de todos os setores qualificados pela fase 2. 

Plano de reabertura

Em outras cidades do interior de São Paulo, os shoppings e comércios já foram abertos desde o dia 1º de junho, por decisões de suas prefeituras. A volta das atividades foi estabelecida pelo Plano São Paulo, que prevê cinco níveis de restrição, calculados com base em cinco critérios.

Dois destes critérios são relacionados à capacidade do sistema de saúde: a taxa de ocupação dos leitos de UTI e o número de leitos de UTI a cada cem mil habitantes. Outros três critérios se referem à evolução da pandemia: número de casos, de internação e de óbitos.

Leia também: Critérios para flexibilização causam divergência entre Doria e Covas (SP)

Fases da pandemia do Plano São Paulo

Fases da pandemia do Plano São Paulo

Arte R7

Últimas