Novo Coronavírus

São Paulo Comércio de rua reabre a partir desta quarta por 4 horas em SP

Comércio de rua reabre a partir desta quarta por 4 horas em SP

Estabelecimentos poderão funcionar por quatro horas, seguindo novos protocolos de venda para garantir a saúde de clientes e funcionários

  • São Paulo | Do R7

Loja se prepara para reabertura nesta terça (9), na rua Oscar Freire

Loja se prepara para reabertura nesta terça (9), na rua Oscar Freire

TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO CONTEÚDO- 09/06/2020

Comércios e imobiliárias serão reabertos na cidade de São Paulo a partir desta quarta-feira (10), em meio à retomada da economia no Estado. No dia 5 de junho, as concessionárias e os escritórios voltaram a operar na capital, que está na fase 2 da pandemia, segundo o Plano São Paulo. 

Mas há regras: as lojas podem abrir as portas entre 11 e 15 horas. Já as imobiliárias podem abrir quatro horas por dia, desde que o horário de funcionamento (abertura e fechamento) não ocorra durante o horário de pico.

Leia também: O que pode colocar em risco a retomada na cidade de São Paulo? 

Na próxima quinta-feira (11), os shoppings devem ser reabertos na capital. Assim como os comércios, os estabelecimentos devem operar sob novas regras para prevenir o contágio do novo coronavírus: funcionamento por 4 horas, com 20% da capacidade. No caso dos shoppings, as praças de alimentação devem ficar fechadas.

Além disso, para serem aprovados para retornar ao trabalho, os setores tiveram que  apresentar à prefeitura protocolos de venda que garantam saúde, higiene, de testagem, regras de autorregulação, regras para fiscalização, política de comunicação destas regras e proteção aos consumidores e funcionários. As diretrizes ainda passaram pela Vigilância Sanitária da capital.   

Plano de reabertura

Em outras cidades do interior de São Paulo, os shoppings e comércios já foram abertos desde o dia 1º de junho, por decisões de suas prefeituras. A volta das atividades foi estabelecida pelo Plano São Paulo, que prevê cinco níveis de restrição, calculados com base em cinco critérios.

Dois destes critérios são relacionados à capacidade do sistema de saúde: a taxa de ocupação dos leitos de UTI e o número de leitos de UTI a cada cem mil habitantes. Outros três critérios se referem à evolução da pandemia: número de casos, de internação e de óbitos.

Leia também: Critérios para flexibilização causam divergência entre Doria e Covas (SP)

Fases da retomada em São Paulo

Fases da retomada em São Paulo

Arte R7

Pandemia em SP: da 1ª morte à retomada parcial das atividades

Últimas