Novo Coronavírus

São Paulo Comércios e serviços podem abrir de 6h às 20h a partir deste sábado

Comércios e serviços podem abrir de 6h às 20h a partir deste sábado

Setores poderão atender presencialmente das 6h às 20h, desde que respeite o limite de 25% de capacidade e demais protocolos

São Paulo está em fase de transição do Plano SP

São Paulo está em fase de transição do Plano SP

ALOISIO MAURICIO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Começa a valer neste sábado (1º) os novos horários estendidos de funcionamentos de comércios e serviços no Estado de São Paulo. O governo paulista anunciou, na última quarta-feira (28), a prorrogação da fase de transição do Plano São Paulo e os novos horários pemitidos para os setores até o próximo dia 9. 

Com a melhora dos indicadores de casos, internações e óbitos, o Governo de São Paulo avaliou que será possível estender o horário de funcionamento dos setores de serviços e do comércio, das 6h às 20h para atendimento presencial, limitado a 25% de capacidade em comércios e serviços não essenciais.

O horário estendido das 6h às 20h vale a partir deste sábado (1º) para estabelecimentos comerciais, galerias e shoppings. O mesmo expediente poderá ser seguido por serviços como restaurantes e similares, salões de beleza, barbearias, academias, clubes e espaços culturais como cinemas, teatros e museus. Até sexta (30), porém, continua a vigorar o horário atual das 11h às 19h.

Regras da fase de transição do Plano São Paulo

Regras da fase de transição do Plano São Paulo

Divulgação/Governo de São Paulo

A fase de transição mantém liberadas as celebrações individuais e coletivas em igrejas, templos e espaços religiosos, desde que seguidos rigorosamente todos os protocolos de higiene e distanciamento social. Parques estaduais e municipais também poderão ficar abertos, mas com horário das 6h às 18h.

O toque de recolher continua nas 645 cidades do Estado, das 20h às 5h, assim como a recomendação de teletrabalho para atividades administrativas não essenciais e escalonamento de horários para entrada e saída de trabalhadores do comércio, serviços e indústrias.

Últimas