Coronavírus

São Paulo Comitê de Blitz encerra quatro festas clandestinas na cidade de SP

Comitê de Blitz encerra quatro festas clandestinas na cidade de SP

Centenas de pessoas desrespeitavam medidas sanitárias contra a covid-19 e estavam aglomeradas e sem máscara de proteção

Comitê de Blitz encerra quatro festas clandestinas na capital paulista

Comitê de Blitz encerra quatro festas clandestinas na capital paulista

Divulgação / Governo de SP

O Comitê de Blitz do Estado de São Paulo encerrou, na madrugada deste sábado (3), quatro festas clandestinas que aconteceram na capital e reuniram centenas de pessoas sem máscara e sem respeitar as medidas de prevenção contra o coronavírus. 

Um estabelecimento na região da Faria Lima reuniu 297 pessoas e foi autuado porque 93 delas estavam sem máscaras de proteção. No bairro do Cursino, o evento tinha 42 frequentadores após o horário permitido pelo Plano São Paulo. A festa foi esvaziada e o imóvel interditado.

Outras duas festas aconteceram na região do Morumbi, uma com cerca de 500 pessoas. Os organizadores encerraram o evento e os convidados começaram a sair ao saber que a força-tarefa estava a caminho. No outro endereço, vans eram utilizadas para levar os participantes ao local fora do horário permitido de funcionamento.

As equipes inspecionaram 36 estabelecimentos na noite de sexta-feira (2), nos bairros Pirituba, Santa Cecília, Tatuapé, Cursino, Vila Mariana e Itaim Bibi. Além das quatro festas clandestinas, outros seis estabelecimentos foram autuados por descumprimento de horário de funcionamento e aglomeração, sendo dois no Tatuapé e quatro na Vila Mariana.

O Comitê de Blitze tem o objetivo de reforçar as fiscalizações e o cumprimento das medidas restritivas da fase emergencial e evitar a propagação do coronavírus. Participam agentes da Guarda Civil Metropolitana e da Covisa (Coordenadoria da Vigilância Sanitária), profissionais da Vigilância Sanitária, Procon e as Polícias Civil e Militar.

Qualquer pessoa pode denunciar festas clandestinas e o funcionamento irregular de serviços não essenciais pelo telefone 0800-771-3541 e também no site www.procon.sp.gov.br. Outra opção é o e-mail secretarias@cvs.saude.sp.gov.br.

Últimas