Compartilhamento de bike em São Paulo ganha 25 estações

O objetivo do Estação Bike é integrar o morador dos extremos da cidade ao serviço de metrô, ônibus e trem

Compartilhamento de bike em São Paulo ganha 25 estações

Estação do Bike Sampa inaugurada nesta terça-feira (30)

Estação do Bike Sampa inaugurada nesta terça-feira (30)

Nilton Fukuda / Estadão Conteúdo

O Bike Sampa, um dos principais serviços de compartilhamento de bicicletas de São Paulo, inaugura nesta terça-feira (30), 25 novas estações na região de Pinheiros, na zona oeste da capital. O modelo é semelhante ao sistema de Nova York e, em alguns pontos, como o Largo da Batata, será possível estacionar até 50 bicicletas.

A novidade do novo Bike Sampa é a criação de bicicletários com empréstimo em períodos de até 12 horas gratuitas, permitindo que o usuário leve para casa e devolva no dia seguinte. O terminal urbano de Itaquera, na zona leste, será o primeiro a receber o novo serviço até o fim de fevereiro.

O objetivo do Estação Bike é integrar o morador dos extremos da cidade ao serviço de metrô, ônibus e trem. Os próximos locais devem ser os Terminais Capelinha e Jabaquara, na zona sul, e o Vila Nova Cachoeirinha, na zona norte. A definição depende de confirmação da Prefeitura de São Paulo e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

As mudanças no Bike Sampa ocorrem quatro meses após reportagem do jornal O Estado de S. Paulo apontar queda de 41,8%, em um ano, no uso do serviço. Bicicletas quebradas, dificuldade para retirá-las das estações e falta de pontos estavam entre as principais queixas dos usuários.

Ao término da implementação do novo sistema do Bike Sampa, prevista para ocorrer no fim do semestre, a cidade terá 260 estações com 2,6 mil novas bicicletas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Access log