Consumidores têm dificuldade para comprar gás de botijão em SP

Há relatos de cobrança de preços abusivos e também de falta de produtos no mercado tanto na capital paulista como na região metropolitana

Consumidores relatam dificuldade de comprar gás de botijão

Consumidores relatam dificuldade de comprar gás de botijão

Correio do Povo

Consumidores de gás de botijão relatam cobrança de preços abusivos e enfrentam dificuldades para encontrar o produto em diferentes regiões da capital paulista e da região metropolitana de São Paulo.

Douglas Moraes, morador da região de Taipas, na zona norte de São Paulo, conta que o preço do botijão de gás em um aplicativo que reúne cerca de 1.200 revendedores variou entre R$ 98 e R$ 130 ao longo da tarde de terça-feira (24). Segundo ele, em lojas físicas há anúncios de que o gás está em falta, o que explicaria os preços abusivos.

Morador da Brasilândia, na zona norte de São Paulo, Jefferson Fernandes, conta que o preço chegava a R$ 130 na tarde de terça. À noite, o valor variou entre R$ 100 e R$ 110.  Ele costuma pagar R$ 69,90 pelo botijão, que costuma durar cerca de um mês. Prestador de serviço autônomo na área de eventos, ele conta que está sem perspectivas de trabalho e conta que a alternativa é cozinhar para as três filhas usando a churrasqueira a lenha de casa.

Eliete Cavalcante, moradora de Ferraz de Vasconcelos, na região metropolitana de São Paulo, conta que na semana passada o botijão era vendido por R$ 60 e, nesta semana, os vendedores chegam a cobrar entre R$ 80 e R$ 90.

Claudia Pereira, moradora do Jardim Helena, na zona leste da capital, diz que passou a tarde tentando comprar um botijão. Foram cinco horas de busca, que finalmente terminou graças à ajuda de amigos de um grupo de Whatsapp. O produto veio de Itaquaquecetuba, na região metropolitana. Acostumada a pagar R$ 60, teve de desembolsar R$ 70. Segundo ela, vendedores alegam que a entrega não é realizada porque há falta do produto no mercado.