São Paulo Contra aumento do ICMS, manifestantes protestam em SP

Contra aumento do ICMS, manifestantes protestam em SP

Concessionárias que vendem carros usados afirmam que reajuste vai impactar nas vendas, já prejudicadas pela pandemia 

  • São Paulo | Do R7, com informações de Letícia Assis, da Agência Record

Carreata contra aumento do ICMS

Carreata contra aumento do ICMS

Reprodução

Manifestantes realizam uma carreata pela região central de São Paulo na manhã desta quarta-feira (13) contra o aumento do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços).

A partir desta sexta-feira (15), os veículos novos e usados devem ficar mais caros. Entram em vigor, em São Paulo, os novos aumentos nas alíquotas do ICMS. Para os carros usados, a alta foi de 200%.

As concessionárias de veículos temem que o aumento no imposto reduza ainda mais o número de compradores de automóveis. Setor já havia sofrido um grande impacto por causa da pandemia do novo coronavírus.

De acordo com um dos manifestantes, que é proprietário de uma concessionária de veículos usados, o ato é contra o aumento do imposto sobre os veículos.

No protesto, os manifestantes pedem a revogação do aumento de 207% no ICMA sobre a compra e venda de carros usados. A medida vai impactar no aumento do preço dos veículos usados e diminuir a competitividade do mercado.

Ainda de acordo com empresários, a decisão impacta não somente as lojas de revenda, mas também causará prejuízos indiretos em lava-rápidos, higienizadores, chaveiros, despachantes, auto-peças e mecânicos.

Protesto

A passeata, que teve início na Praça Charles Miller, no Pacaembu, zona oeste de São Paulo, seguiu pela avenida Paulista, região central, onde os condutores pretendem ficar parados no trecho entre os prédios do MASP (Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand) e da FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo).

Imagens mostram dezenas de carros circulando pela avenida, com pisca-alerta ligado e buzinando pela via. Os manifestantes utilizam também dois carros de som.

A Polícia Militar foi acionada, mas disse que o ato é pacífico.

Últimas