Contra coronavírus, SP cancela eventos com aglomerações 

Em todo o estado, há 56 casos confirmados e outros 756 suspeitos e no País, 98 pacientes confirmados. Transmissão na capital já é comunitária

Muitas 
universidades na capital já suspenderam as aulas

Muitas universidades na capital já suspenderam as aulas

Willian Moreira/Futura Press/Estadão Conteúdo

Para diminuir o contágio do coronavírus, o prefeito em exercício, Eduardo Tuma (PSDB), determinou na tarde desta sexta-feira (13) o cancelamento de todos os "eventos de massa" públicos governamentais, esportivos, artísticos, culturais, políticos, científicos, comerciais com aglomerações de pessoas na cidade de São Paulo.

Leia mais: Capitais de SP e RJ têm transmissão comunitária do coronavírus

A prefeitura recomendou evitar a realização de eventos privados — que não dependem da autorização da gestão municipal para ocorrer. Jogos de futebol, por exemplo, dependem de decisões das federações. A FPF (Federação Paulista de Futebol) confirmou que, ao menos os jogos na capital paulista neste final de semana, não contarão com a presença de torcedores.

De acordo com a prefeitura, a medida foi tomada a pedido de Bruno Covas, que está de licença por motivos pessoais. Ele participou de coletiva de imprensa na última quinta-feira (12) junto do governador João Doria, que afirmou não haver "motivo para pânico" com a chegada do vírus em São Paulo. 

Pelo menos 56 casos já foram confirmados no estado, com outros 753 casos suspeitos. A cidade de São Paulo já possui transmissão comunitária de coronavírus, de acordo com o Ministério da Saúde. Nesta fase, não é possível identificar a trajetória de infecção do vírus.

Reação ao contágio

undefined

A Câmara Municipal de São Paulo adotará, a partir de segunda (16), medidas contra a disseminação do vírus em suas dependências. A exemplo do Tribunal de Justiça de São Paulo, a medida vai instituir quarentena para funcionários que tenham passado por países infectados ou que tenham tido relação com pessoas contaminadas. Tuma também citou a criação de um comitê de acompanhamento do vírus, que deve funcionar até o final da pandemia.

Pelo mesmo motivo, foi adiado para maio um evento do setor automotivo que ocorreria na próxima segunda-feira em São Paulo e contaria com a presença dos presidentes de algumas das principais montadoras instaladas no Brasil, além do presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, Luiz Carlos Moraes, e do presidente do Sindipeças (Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores), Dan Ioschpe.

O diretório municipal do PSOL em São Paulo cancelou a plenária das prévias marcada para ocorrer neste domingo, dia 15, em razão do coronavírus. Integrantes do PT defendem cancelar o debate que precede as prévias marcadas para o dia 22.

Um projeto de lei protocolado nesta sexta propõe que o governo estadual forneça gratuitamente álcool em gel para as populações de baixa renda do estado. A matéria ainda precisa ser aprovada em plenário.

No Estado de São Paulo, Unicamp, Mackenzie, Insper e Casper Líbero e outras universidades e faculdades suspenderam as aulas. A Unesp (Universidade Estadual Paulista) determinou que todos os seus alunos e funcionários provenientes do exterior deverão ficar afastados por 14 dias do ambiente universitário.

Sintomas do coronavírus

undefined

Arte/R7

*Com informações da Agência Estado