Novo Coronavírus

São Paulo CoronaVac: sangue de voluntário morto tinha sedativos e opioides

CoronaVac: sangue de voluntário morto tinha sedativos e opioides

Exames do IML e do IC identificaram a causa da morte como "intoxicação exógena por agentes químicos". Testes chegaram a ser suspensos

  • São Paulo | Do R7, com informações da Agência Record

A morte de um voluntário nos estudos clínicos da CoronaVac, vacina produzida pelo Instituto Butantan e pela farmacêutica chinesa Sinovac, se deu em decorrência de intoxicação exógena por agentes químicos, de acordo com laudos periciais do IC (Instituto de Criminalística) e do IML (Instituto Médico Legal). 

Coranavac, vacina produzida pelo Butantan e pela farmacêutica chinesa Sinovac

Coranavac, vacina produzida pelo Butantan e pela farmacêutica chinesa Sinovac

Wu Hong/EFE/EPA - 24.09.2020

Leia também: CoronaVac, Oxford, Pfizer: será possível escolher vacina da covid-19?

Os exames constataram a presença de opioides, sedativos e álcool no sangue na vítima. Os resultados foram encaminhados às autoridades do 93º DP (Jaguaré), na zona oeste da capital. 

Veja também: Brasil soma 164,2 mil mortes por covid e 5,77 milhões de casos

Na segunda-feira (9), a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) suspendeu os estudos com a vacina após uma ocorrência de "evento adverso grave". O evento foi a morte de um dos voluntários, um farmacênutoco de 32 anos, participantes dos testes com a vacina, suspeita de ter sido provocada por suicídio.

Leia mais: 'A vacina é segura', diz secretário de saúde após suspensão da Anvisa

No dia seguinte, o diretor-presidente da agência , Antônio Barra Torres, afirmou que a interrupção se deu por uma "decisão técnica" diante de "informações insuficientes" sobre o caso.  Os testes foram retomados na quarta-feira (11).

Últimas