Coronavírus

São Paulo CoronaVac: SP diz que vai priorizar estados e municípios brasileiros

CoronaVac: SP diz que vai priorizar estados e municípios brasileiros

Medida será tomada caso Ministério da Saúde não confirme interesse nas 54 milhões de doses adicionais do imunizante

CoronaVac é produzida pelo Instituto Butantan, em parceria com a chinesa Sinovac

CoronaVac é produzida pelo Instituto Butantan, em parceria com a chinesa Sinovac

Adriano Machado/Reuters

O governador de São Paulo, João Doria, afirmou que vai priorizar o fornecimento de CoronaVac a estados e municípios brasileiros, caso o Ministério da Saúde não confirme a compra das 54 milhões de doses disponibilizadas ao governo federal, além das 46 milhões já adquiridas.

"Caso o Ministério da Saúde não confirme a compra das 54 milhões de doses adicionais da vacina do Butantan, determinei ao Instituto que forneça estas vacinas prioritariamente aos Estados e Municípios do Brasil", declarou o governador em publicação nas redes sociais. 

Em entrevista coletiva realizada na quarta-feira (27), o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, que fabrica a vacina em parceria com o laboratório chinês Sinovac, afirmou que, sem confirmação do ministério, as doses poderiam ser exportadas. A Argentina seria o primeiro país da lista e as negociações começariam já na semana que vem.

O contrato atual do Butantan com o Ministério da Saúde é de 46 milhões de doses. "Nós não temos contrato adicional. Estamos aguardando uma manifestação do Ministério da Saúde em relação a um aumento do contrato para 54 milhões de doses adicionais, mas ainda não tivemos nenhum aceno nesse sentido", afirmou Covas na coletiva. 

Últimas