Coronavírus

São Paulo Coronavírus muda protocolo de atuação da Polícia Militar de SP

Coronavírus muda protocolo de atuação da Polícia Militar de SP

Cúpula altera procedimentos em abordagens, rotina nos quartéis e lamenta falta de produtos para proteção da tropa, que tem um caso suspeito na capital

  • São Paulo | Cesar Sacheto, do R7

PMs são instruídos pelo comando sobre como agir durante o surto da covid-19

PMs são instruídos pelo comando sobre como agir durante o surto da covid-19

Divulgação/PMESP

A Polícia Militar do Estado de São Paulo está revendo uma série de protocolos em ações de patrulhamento, abordagens e condução de presos, entre outros procedimentos, além do trabalho nos quartéis em razão da pandemia do novo coronavírus. Os detalhes não foram revelados por questões estratéticas e confidencialidade, mas alguns métodos de atuação serão modificados temporariamente para proteger a tropa e a sociedade até a diminuição dos casos da doença.

Leia também: Hospital contrata 1.400 profissionais para combater surto em São Paulo

"[A atuação] vai depender de cada ocorrência. Temos alguns acionamentos com pedido de apoio por suspeita de coronavírus. De qualquer forma, ainda não temos este detalhamento. Mesmo com os protocolos que estão sendo expedidos, necessitamos da demanda concreta para ajustá-los à realidade. Estamos vivendo uma situação inédita e dinâmica. Estamos aprendendo um pouco mais a cada dia", enfatizou o tenente-coronel Emerson Massera, chefe do setor de comunicação Social da PM, sobre as novas recomendações em face da exposição ao contágio dos cerca de 86 mil integrantes da corporação em todo o Estado.

PM adota novas práticas

PM adota novas práticas

Divulgação/PMESP

Segundo Emerson Massera, já foram comprados diversos itens para a higienização dos policiais militares e das viaturas que circulam pelas ruas, tais como: luvas, máscaras e álcool gel. No entanto, a quantidade adquirida ainda é insuficiente para suprir a demanda da PM paulista.

Leia também: Davi Uip testa positivo para coronavírus e Doria faz exame

"Se o policial militar fizer uma abordagem em alguém com suspeita de estar doente, tem que usar máscara. Mas não se acha no mercado. Estamos buscando o material, mas é difícil [obtê-lo] em grande quantidade. O governador ria João Dodestinou o dinheiro, mas o desafio é encontrar e entregar [os produtos] rapidamente aos policiais", afirmou.

Atualmente, um policial militar da capital paulista está em tratamento por suspeita de ter contraído a covid-19. O paciente está internado no Hospital da Polícia Militar.

Durante o período em que o controle da disseminação do novo coronavírus é a prioridade das autoridades públicas, algumas operações regulares da PM serão reduzidas e grande parte do efetivo que atua no policiamento ostensivo já está sendo deslocada para áreas residenciais, onde há grande concentração de pessoas neste momento - e também estão instalados muitos polos comerciais locais.

190 recebe reclamações de desobediência

O tenente-coronel PM Emerson Massera revelou que foi notado um aumento no número de ligações para o telefone 190 referentes reclamações da população contra empresas e estabelecimentos comerciais que desobedeceram as determinações do governo do Estado ao não suspender o atendimento, além de denúncias de aglomerações públicas e pancadões.

"[Devemos] conscientizar as pessoas. Todos precisam ter cautela", finalizou o chefe da comunicação social da Polícia Militar paulista.

Últimas