Coronavírus

São Paulo Coronavírus: prefeitura de SP decreta estado de emergência 

Coronavírus: prefeitura de SP decreta estado de emergência 

Medidas emergenciais de prevenção foram anunciadas pelo prefeito Bruno Covas na segunda (16), entre elas suspensão de rodízio e limpeza de ônibus 

  • São Paulo | Do R7

Prefeito de São Paulo, Bruno Covas, anunciou medidas emergenciais

Prefeito de São Paulo, Bruno Covas, anunciou medidas emergenciais

ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

A prefeitura de São Paulo declarou estado de emergência por conta da pandemia do coronavírus. O decreto está publicado no Diário Oficial do Município desta terça-feira (17), que detalha as medidas emergenciais anunciadas pelo prefeito Bruno Covas na segunda-feira (16) contra a disseminação do vírusc SARS-CoV2, causador da doença covid-19.

Entre as medidas, estão a suspensão do rodízio de veículos por tempo indeterminado a partir desta terça e a higienização de todos os ônibus municipais com água sanitária no final da linha. Em tratamento contra um câncer, o prefeito anunciou ainda que vai se mudar por tempo indeterminado para a sede da Prefeitura, no Viaduto do Chá, na região central.

De acordo com o prefeito, o aumento diário do número de infectados pela doença é da ordem de 40% a 50%. Por isso, a prefeitura decidiu dobrar o número de leitos em UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em até 20 dias. Serão disponibilizados 490 novos leitos a mais. Covas pediu que pacientes com casos suspeitos procurem as UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e deixem os hospitais para os que estão em estado mais grave.

Estão suspensos todos os eventos promovidos por centros culturais municipais e todos os que exigem alvará da Prefeitura, inclusive os que já tiveram a autorização emitida. Os servidores públicos com mais de 60 anos e que não trabalham na área de saúde passarão a fazer home office, assim como os que integram grupos de risco.

Os demais servidores serão distribuídos em novos horários - divididos entre manhã e tarde - para evitar aglomerações no transporte público.  Os parques da cidade continuam abertas, mas esta decisão pode ser revista ao longo da semana.

Últimas