São Paulo Corpo de Bombeiros confirma 12 mortos pelas chuvas em SP

Corpo de Bombeiros confirma 12 mortos pelas chuvas em SP

Foram 6 mortos por afogamento e 6 por deslizamentos após chuvas desta segunda-feira (11). Outras seis pessoas estão feridas

Chuvas

Deslizamento de terra atingiu casa em Embu das Artes, na Grande São Paulo

Deslizamento de terra atingiu casa em Embu das Artes, na Grande São Paulo

EVERALDO SILVA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 11.3.2019

O Corpo de Bombeiros confirmou, na tarde desta segunda-feira (11), que ao menos 12 pessoas morreram e seis estão feridas em decorrência das chuvas que atingem a capital e cidades da Grande São Paulo desde a noite de domingo (10). 

Leia mais: Passageiros ficam presos dentro de ônibus ilhado na enchente

Foram quatro vítimas fatais em Ribeirão Pires, três em São Caetano do Sul, 02 em Santo André, 01 em Embu das Artes e 01 em São Paulo.

De acordo com o Palácio dos Bandeirantes, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), sobrevoou áreas da capital e da região metropolitana na manhã desta segunda. O governador determinou prioridade no atendimento a desabrigados e à remoção de pessoas em áreas de risco.

Houve desabamentos e desmoronamentos de casas, diversas quedas de árvores e centenas de pontos de enchente na capital e na região metropolitana.

Leia mais: Transporte público enfrenta caos em São Paulo após forte chuva

O Corpo de Bombeiros fez um balanço da quantidade de atendimentos realizados pela corporação com o apoio das aeronaves da Polícia Militar devido às chuvas desta segunda na capital. Houve 12 resgates, sendo quatro de mulheres e outros oito de crianças.

Entre a meia-noite e às 10h20, os Bombeiros registraram, somente na cidade de São Paulo, 698 chamados para enchentes e alagamentos, 76 para desmoronamentos e desabamentos e 78 para quedas de árvores.

Trânsito caótico

Motoristas que tentavam circular pela Marginal Tietê relatam até seis horas parados dentro do carro e reclamaram de prejuízos. Por causa dos alagamentos e sem a possibilidade de retornar para casa, muitos condutores desligaram os motores e esperaram que a água baixasse para prosseguir a viagem.

São Paulo acorda embaixo d'água após temporal na madrugada: