São Paulo Corpo de Ísis Helena é encontrado perto de ponte em Itapira (SP)

Corpo de Ísis Helena é encontrado perto de ponte em Itapira (SP)

Local foi indicado pela mãe da menina desaparecida, Jennifer Natalia Pedro, de 21 anos, que confessou o crime e cumpre prisão preventiva 

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Ísis Helena está desaparecida há mais de 50 dias

Ísis Helena está desaparecida há mais de 50 dias

Reprodução/Record TV

O corpo da menina Ísis Helena, de 2 anos, foi encontrado na manhã desta quarta-feira (29) enterrado perto de uma ponte na cidade de Itapira, no interior de São Paulo. As informações são da Record TV. A menina estava desaparecida há mais de 50 dias.

A mãe de Ísis, Jennifer Natalia Pedro, de 21 anos, indicou o local onde confessou ter enterrado o corpo da filha. A indicação foi exata. A cova foi feita debaixo de uma das pontes do rio do Peixe, por onde todos os dias homens do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil passavam a pé para colocar no rio os barcos usados nas buscas pela menina. O local é de terra vermelha, compacta e a cova não era rasa. Os policiais querem saber se Jennifer usou algum tipo de ferramenta para fazer a cova.

As equipes de busca usaram barcos e até um sonar para localizar vestígios do corpo de Ísis nas águas do rio do Peixe, onde a menina teria sido jogada. Habitantes de cidades do sul de Minas Gerais apoiaram as equipes de busca com o uso de caiaques.

O corpo de Isis será encaminhado para perícia para identificar a causa da morte. É preciso apurar se teria sido provocada por uma super dosagem de medicamento e se havia hematomas no corpo da criança. Ísis nasceu prematura, com microcefalia e fazia uso de remédios controlados.

Jennifer Natalia Pedro confessou o envolvimento na morte da filha, no dia 20 de abril. Ela foi presa por suspeita de envolvimento no crime depois que cães farejadores detectaram indícios da presença dela e da criança nas proximidades de uma cachoeira.

Ela cumpre prisão preventiva na Penitenciária Feminina de Mogi Guaçu e vai responder agora por ocultação de cadáver, falsa comunicação de crime e homicídio doloso, quando há intenção de matar.

Últimas