São Paulo Corpo de uma das amigas mortas em Paraisópolis é liberado pelo IML

Corpo de uma das amigas mortas em Paraisópolis é liberado pelo IML

Laudo indica que mulheres foram mortas por envenenamento. Corpos devem ser levados para Manaus, onde serão sepultados

Mulheres foram mortas por envenenamento

Mulheres foram mortas por envenenamento

Reprodução Record TV

O IML (Instito Médico Legal) identificou oficialmente, nesta quarta-feira (23), o corpo de uma das mulheres mortas na comunidade do Paraisópolis, zona sul de São Paulo, no início de junho. Já houve a liberação para o sepultamento, no entanto, a reportagem não tem informação sobre qual das duas que se trata.

Em relação ao segundo corpo, a Polícia Civil disse que está em andamento a coleta de novos elementos que auxiliem na confirmação da identidade da vítima. As investigações seguem pelo DHPP (Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa), que atua para esclarecer as circunstâncias do crime, assim como identificar os autores.

Nesta quarta-feira tambám foi divulgada a conclusão do laudo do IML que aponta que as amigas Julia Renata Garcia Rafael, de 26 anos, e Claudia Cristina, de 35 anos, foram envenenadas. As vítimas não foram baleadas e teriam sido dopadas com alguma droga colocada na bebida.

Elas são de Manaus (AM), moravam em Guarulhos, na Grande São Paulo, e teriam sido atraídas para a casa noturna, que fica na comunidade. No local, foram recebidas pelo proprietário da boate.

Segundo a advogada da família de Júlia, uma vez feito o reconhecimento e a liberação dos corpos, serão levados para Manaus, onde deve acontecer o sepultamento das duas.

A Prefeitura da cidade natal de Júlia e Cláudia foi responsável pela contratação da funerária, que fará o deslocamento dos corpos, uma vez que as famílias não possuem condições financeiras para tal.

Últimas