São Paulo Cosplayer diz ter sido torturado por seguranças no Brasil Game Show

Cosplayer diz ter sido torturado por seguranças no Brasil Game Show

Vestido de Coringa, ele afirma ter sido barrado após sair para retocar maquiagem e agredido por dois seguranças em uma sala reservada

Michael Giordano Martins Pinheiros, de 34 anos, mostra marcas da agressão

Michael Giordano Martins Pinheiros, de 34 anos, mostra marcas da agressão

Arquivo Pessoal

Michael Giordano Martins Pinheiros, de 34 anos, faz cosplay (se veste como) do vilão Coringa e participa de eventos de cultura geek ha 12 anos. No último final de semana, estava na BGS (Brasil Game Show), a maior feira de games da América Latina, no Expo Center Norte, em São Paulo.

Leia também: Jovem é torturado por seguranças dentro de supermercado em SP

Após duas horas no evento, Pinheiros decidiu retocar a maquiagem no carro, que estava no estacionamento. Como seu ingresso era um QR Code, ele se certificou com dois seguranças que poderia retornar a feira sem problemas.

No retorno à BGS, o cosplayer do Coringa passou novamente pela revista no Portão C, porém seu QR Code não permitiu o acesso ao evento, pois já tinha sido utilizado. Na tentativa de auxiliá-lo, uma funcionária chamou um organizador para relatar o ocorrido.

Durante a confusão, dois homens, sem identificação e sem uniforme de seguranças, se aproximaram e falaram que Pinheiros não iria entrar na feira. Logo em seguida, segundo o cosplayer, lhe deram um mata leão e o arrastaram até uma sala, usada como vestiário pelos agentes.

Segundo a vítima, o corredor que levava ao vestiário tinha cerca de seis metros de extensão e parecia um "corredor polonês", pois durante todo o caminho foi agredido. Na sala, Pinheiros afirma ter sido torturado durante 40 minutos.

Os seguranças utilizaram vários métodos de tortura, segundo o denunciante: desferiram socos e chutes, queimaram cigarros em sua pele, jogaram bebida e ameaçaram de estupro a vítima. As agressões só foram interrompidas quando um terceiro segurança apareceu na sala.

A vítima contou que teve perfuração no pulmão, uma costela quebrada e nove trincadas. Além disso, foi liberado e escoltado até o seu carro pelos seguranças, apenas quando conseguiu ficar em pé.

Pinheiros ficou internado no hospital do domingo, dia da agressão, até terça-feira (15). O boletim de ocorrência de lesão corporal e roubo de equipamentos de cosplay foi registrado no 74° DP (Parada de Taipas), nesta quarta-feira (16).

Procurada, a Brasil Game Show ainda não se pronunciou.