Covas quer manter pagamento a terceirizadas mesmo sem serviço

Para evitar demissão em massa, projeto de lei será enviado à Câmara para manter pagamentos ainda que serviços não sejam estejam sendo prestados

Bruno Covas, (PSDB), prefeito de São Paulo

Bruno Covas, (PSDB), prefeito de São Paulo

ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Um projeto de lei que será enviado pela prefeitura à Camara Municipal de São Paulo prevê a renegociação de todos os contratos com empresas terceirizadas para evitar demissões em massa em meio à crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. A proposta é manter a continuidade nos pagamentos, ainda que o serviço não esteja sendo prestado. O prefeito Bruno Covas anunicou a proposta nesta segunda-feira (23).

Um outros projeto pretende desvincular todos os fundos municipais e permitir que a cidade de São Paulo utilize recursos que estão parados em ações de combate à disseminação da covid-19.

Os dois projetos, que serão encaminhados para votação virtual, foram elaborados em conjunto com o TCM (Tribunal de Contas do Município).

Esta manhã, durante visita ao hospital de campanha que está sendo montado no estádio do Pacamebu, Covas afirmou que as pessoas precisam se convencer da gravidade da pandemia. "É importante que as pessoas percebam que não é marolinha, é uma questão grave, é pandemia. Quanto mais as pessoas puderem ficar em casa é um ato de humanidade e respeito ao próximo", disse o prefeito.