Novo Coronavírus

São Paulo Covas sobre novo rodízio: 'As pessoas terão que se reorganizar'

Covas sobre novo rodízio: 'As pessoas terão que se reorganizar'

Em entrevista exclusiva ao Fala Brasil, prefeito falou sobre restrição a veículos, que será de 24 horas em dias alternados a partir de segunda-feira (11)

  • São Paulo | Do R7

Bruno Covas, prefeito de São Paulo

Bruno Covas, prefeito de São Paulo

Divulgação - 08.05.2020

O prefeito Bruno Covas afirmou neste sábado (9) que será necessário que as pessoas se adaptem às novas regras do rodízio de veículos para conter a disseminação do novo coronavírus na cidade e evitar cenas vistas em outros países em que houve colapso no sistema de saúde.

Saiba como se proteger e tire suas dúvidas sobre o novo coronavírus

“As pessoas terão que se reorganizar. Causa um desconforto, mas é por um bem maior. Nós conseguimos salvar 30 mil vidas na cidade de São Paulo”, disse Covas em entrevista exclusiva ao Fala Brasil, da Record TV.

As regras do novo rodízio começam  a valer na segunda-feira (11). A restrição vale por 24 horas em dias alternados. Em dias ímpares, podem circular apenas veículos de placa final ímpar (1,3,5,7,9). Em dias pares, podem circular veículos de placa final par (0,2,4,6,8). A única exceção é o dia 31 de maio, em que todos estarão liberados.

Leia também: Novo rodízio afeta motoristas de aplicativo e trabalhadores noturnos

A adoção da medida leva em conta a taxa de 90% de ocupação dos leitos de UTI do município e a queda da taxa de isolamento social para níveis abaixo do mínimo recomendado de 50% - o número considera a capacidade do sistema de saúde para atender pacientes com covid-19. Também foi considerado o índice de lentidão medido pela da CET, que chegou a 50 km no dia 6 de maio. O decreto que regulamenta o novo rodízio foi publicado no dia 7 de maio.

Covas comentou que há categorias excluídas da restrição. "Aqueles que sempre foram liberados do rodízio [continuam], agora com o pessoal do serviço funerário, da assistência e da imprensa. Qualquer outra categoria, a gente analisa", afirmou.

Saúde

Profissionais de saúde estão fora da restrição e precisam se cadastrar na secretaria de Mobilidade e Transportes até o final da semana que vem.  Se forem multados neste prazo, haverá cancelamento automático da sanção. Mas se levarem multa a partir da semana que vem, devem recorrer a uma junta específica que será criada pelo poder municipal. A orientação é que entrem em contato com o poder municipal pelo e-mail isencao.covid19@prefeitura.sp.gov.br.

Outras categorias

Ficam fora do rodízio também motocicletas, viaturas da polícia e bombeiros, Forças Armadas, Defesa Civil, veículos usados em serviços essenciais como abastecimento, gás, água, energia, obras, Correios, coleta de lixo, transporte escolar e coletivo, guinchos e ambulâncias.

Veja também: Covas diz que sofre ameaças após anunciar novo rodízio de veículos

Além destas categorias, o rodízio não vale para táxis, VUC (Veículo Urbano de Carga), veículos usados no abastecimento de farmácias, mercados, feiras livres, açougues, quitandas, lojas de conveniência, de venda de água mineral, padarias e lojas especializadas em artigos médicos.

Também estão liberados carros particulares de agentes da segurança pública, fiscais da fazenda, profissionais da imprensa, trabalhadores do serviço funerário e da assistência social. A liberação será feita mediante um cadastro feito pela empresa na Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes, com informações do trabalhador e do veículo. O autônomo poderá fazer o próprio cadastro, se tiver comprovante de registro profissional.

Leia também: Supermercados de SP começam a medir temperatura de clientes

Os recursos arrecadados com as multas por descumprimento do novo rodízio serão usados no combate à covid-19. Se a cidade chegar a pelo menos 60% de isolamento social, o rodízio poderá ser suspenso.

Novas regras do rodízio em São Paulo

Novas regras do rodízio em São Paulo

Arte R7

Últimas