São Paulo Covas vai se mudar para sede da Prefeitura; rodízio é suspenso em SP

Covas vai se mudar para sede da Prefeitura; rodízio é suspenso em SP

Covas ressaltou que a cidade tem aumento de 40% a 50% no número de casos por dia. Ele garantiu que serão disponibilizados 490 novos leitos de UTI

Agência Estado
São Paulo já cancelou todos os eventos com aglomerações na semana passada

São Paulo já cancelou todos os eventos com aglomerações na semana passada

ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), anunciou na tarde desta segunda-feira (16), que vai se mudar por tempo indeterminado para a sede da Prefeitura, no Viaduto do Chá, na região central, durante o aumento dos casos do novo coronavírus na cidade. "A partir de hoje, vou passar a dormir aqui."

Leia mais: Saiba como se proteger e tire suas dúvidas sobre o novo coronavírus

Ele também anunciou, durante entrevista ao vivo na Band TV, que o rodízio de veículos está suspenso por tempo indeterminado a partir desta terça-feira (17), para esvaziar a rede de transporte coletivo. Além disso, todos os ônibus municipais deverão ser limpos com água sanitária no final da linha. "Todas as medidas estão sendo tomadas por acompanhamento e sugestão dos profissionais da saúde", justificou.

Covas ressaltou que a cidade está enfrentando um aumento de 40% a 50% no número de casos diariamente. Por isso, garantiu que serão disponibilizados 490 novos leitos de UTI em até 20 dias, o que significa o dobro da capacidade atual. Ele pediu que pacientes com casos suspeitos procurem as UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e deixem os hospitais para os que estão em estado mais grave.

Além de eventos promovidos por centros culturais municipais, também foi determinada a suspensão de todos os eventos que exigem alvará da Prefeitura, inclusive daqueles que já tiveram a autorização emitida. "Estamos fechando todos os equipamentos culturais e de assistência social - exceto os de acolhimento."

Os servidores públicos com mais de 60 anos e que não trabalham na área de saúde passarão a fazer home office, assim como aqueles que integram grupos de risco. Além disso, os demais serão distribuídos em novos horários - divididos entre manhã e tarde - para evitar aglomerações no transporte público.

O prefeito também disse que, até o momento, não será determinado o fechamento de parques, mas que a decisão pode ser revista ao longo da semana. Além disso, ressaltou que as feiras livres estão mantidas e que "não se avizinha nenhuma crise de desabastecimento" na capital.

Últimas