Coronavírus

São Paulo Covid-19: O que muda na Grande SP com o afrouxamento das regras

Covid-19: O que muda na Grande SP com o afrouxamento das regras

Cidades da região metropolitana passarão a partir de segunda-feira (15) para a fase laranja, que permite abertura de comércios com restrições

  • São Paulo | Do R7

Grande SP avança para a fase 2 e poderá reabrir comércio de rua

Grande SP avança para a fase 2 e poderá reabrir comércio de rua

Tiago Queiroz/Estadão Conteúdo

Com o avanço das cidades da Grande São Paulo para a fase laranja de retomada econômica a partir de segunda-feira (15), de acordo com o Plano São Paulo do governo estadual, comércios de rua, shoppings, concessionárias, imobiliárias e escritórios poderão reabrir. É preciso, no entanto, que os setores apresentem às prefeituras os protocolos de segurança antes da liberação para reabertura. 

Este é o processo pelo qual passou a capital paulista. Até o momento, apenas os shoppings ainda não reabriram ao público, o que deve acontecer nesta quinta-feira (11), véspera do Dia dos Namorados. Os estabelecimentos devem operar sob novas regras: funcionamento por 4 horas, com 20% da capacidade. No caso dos shoppings, as praças de alimentação devem ficar fechadas.

As lojas só podem abrir as portas entre 11 e 15 horas. Já as imobiliárias podem abrir quatro horas por dia, desde que o horário de funcionamento (abertura e fechamento) não ocorra durante o horário de pico.

Leia mais: Governo de SP é reativo ao adotar protocolos contra pandemia

Os setores levaram à administração municipal medidas que devem ser adotadas para evitar a propagação do novo coronavírus, como uso obrigatório de máscaras, distanciamento, limpeza e álcool em gel, testagem, regras de autorregulação e fiscalização, política de comunicação destas regras e proteção aos consumidores e funcionários. As diretrizes tiveram o aval da Vigilância Sanitária.

Nas cidades da região metropolitana, o processo será o mesmo. A decisão final e datas para reabertura caberão às prefeituras.

Atividades comerciais e serviços e suas restrições para cada fase

Atividades comerciais e serviços e suas restrições para cada fase

Arte/R7

Quarentena estendida

A nova fase da retomada econômica passa a valer entre os dias 15 e 28 de junho. Será o quinto período de quarentena adotado pelo estado desde o início da pandemia.

Antes classificada na fase 1, vermelha, toda a Grande São Paulo passa para a fase 2, laranja, em que já estava a capital paulista. De acordo com o governo estadual, houve na região metropolitana um avanço na capacidade hospitalar de 40%, com a liberação de 304 novos leitos de UTI e uma ocupação abaixo de 80%.

Veja também: Quase 600 estabelecimentos são fechados durante quarentena 

"Estamos conseguindo ter em São Paulo o mesmo resultado que foi observado em outros países. A doença se espalha a partir da cidade, avançou para a Grande São Paulo e depois para o interior. Isso vai se refletindo nos indicadores do Plano São Paulo", detalhou o coordenador do Comitê de Contingência do Coronavírus, Carlos Carvalho.

Conheça as cinco fases para a retomada de atividades:
Fase 1 (alerta máximo): fase de contaminação, com liberação apenas dos serviços essenciais;
Fase 2 (controle): fase de atenção, com eventuais liberações;
Fase 3 (flexibilização): fase controlada, com maior liberação de atividades;
Fase 4 (abertura parcial): fase decrescente, com menores restrições;
Fase 5 (normal controlado): fase de controle da doença, liberação de todas as atividades com protocolos.

Fases de retomada definidas pelo governo de São Paulo

Fases de retomada definidas pelo governo de São Paulo

Arte R7

Últimas