Coronavírus

São Paulo Cremesp investiga quatro médicos por tomarem 3ª dose da vacina

Cremesp investiga quatro médicos por tomarem 3ª dose da vacina

É apurada conduta de 3 médicos e 1 veterinária que burlaram sistema e receberam imunizantes de diferentes fabricantes

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Cremesp investiga 3 médicos e 1 veterinária por tomarem 3º dose da vacina contra a covid-19

Cremesp investiga 3 médicos e 1 veterinária por tomarem 3º dose da vacina contra a covid-19

Reprodução/Agência Brasil - 29.06.2021

O Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo) investiga três médicos e uma médica veterinária que teriam burlado o sistema de vacinação e tomado três doses do imunizante contra a covid-19. O caso também é apurado pelo Ministério Público. As informações são da Record TV.

De acordo com o Cremesp, a investigação é sigilosa. Em um dos casos, as doses foram aplicacadas em 20 de maio em um megaposto de vacinação da cidade de São Paulo. Após tomar conhecimento da irregularidade, a Secretaria Municipal da Saúde denunciou os médicos ao Cremesp, que deu início à apuração.

O mais recente é o da veterinária Jussara Sonner, que usou as redes sociais para divulgar que recebeu a dose do imunizante da Johnson em Guarulhos, na Grande São Paulo, mesmo já tendo tomado as duas doses da CoronaVac em outro posto de saúde do município. 

Para burlar o sistema de saúde, os profissionais buscaram unidades não informatizadas, onde o registro é feito manualmente. No momento da aplicação, a equipe não tinha como saber se a pessoa já havia tomado outras doses. Apenas quando os dados são lançados no sistema que a fraude é descoberta.

Os investigados poderão responder criminalmente. Além disso, eles usaram doses das vacinas que estavam destinadas a outros grupos da campanha, que ainda aguardam na fila.

Infectologistas também alertam para o fato de que não há estudos sobre a mistura de imunizantes de diferentes fabricantes da vacina, o que pode levar a riscos à saúde.

Caso veterinária

A Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado de São Paulo anunciou, nesta quinta-feira (1º), que vai investigar a denúncia de fraude cometida pela médica veterinária Jussara Sonner.

Na publicação, Jussara disse que havia sido imunizada, inicialmente, com as duas doses da CoronaVac e se sentia "bastante incomodada". Então, afirmou que aguardou por três meses, até que pudesse tomar a dose da vacina da Johnson, que foi distribuída pelos Estados Unidos aos países latino-americanos.

A investigação do caso deverá ser feita pela Comissão Especial Integrada, órgão responsável pela apuração de denúncias e aplicação de penalidades a quem furar a fila da vacinação.

Em nota, a Secretaria Estadual da Saúde informou que todos os municípios recebem as doses com as devidas orientações quanto à aplicação dos imunizantes, bem como a conferência e cadastro dos dados de cada pessoa vacinada na plataforma VaciVida.

A pasta frisou ainda que compete também aos municípios monitorar e tomar as providências diante de eventuais situações de aplicação inadequada.

Últimas