Desvios em creches: prefeitura troca mantenedoras de 104 unidades 

Auditoria identificou 116 creches com irregularidades na prestação de contas e fraudes previdenciárias, em desvios que podem chegar a até R$ 10 milhões

Outras três entidades já tinham sido descredenciadas pela investigação

Outras três entidades já tinham sido descredenciadas pela investigação

Zanone Fraissat/Folhapress - 19/06/2019

A Prefeitura de São Paulo substituiu as associações responsáveis pela gestão de 104 creches na capital, depois que uma auditoria interna apontou possíveis desvios de verba e fraudes previdenciárias. As 35 entidades que atuavam com os CEIs (Centros de Educação Infantil) serão descredenciadas nesta sexta-feira (01).  

Leia mais: Prefeitura de SP vê falhas em 116 creches com desvios de R$ 10 mi

A investigação foi realizada pela prefeitura em parceria com a Controladoria Geral do Município. Segundo o órgão, a estimativa é que o valor equivalente à diferença entre o declarado em prestação e contas e o efetivo recolhido pelas organizações demonstra possível desvio de quase R$ 10 milhões provenientes das verbas municipais.

Depois que as supostas fraudes foram reveladas, as entidades responsáveis pela gestão das unidades de ensino infantil não conseguiram reverter a decisão da prefeitura, que concedeu cinco dias para o esclarecimento dos supostos desvios.

Segundo a prefeitura, três entidades que juntas administravam 12 creches já foram descredenciandas neste ano, depois das investigações. Todas estas já foram substituídas também.

Nesta sexta-feira, as novas mantenedoras farão reuniões com as creches e a população local, para alinhar a metodologia, de forma que as aulas continuem na próxima segunda-feira (4) sem grandes atrasos. As entidades parceiras que farão a substituição já prestam serviço para Secretaria de Educação nas outras creches da capital paulista. 

No total, a cidade de São Paulo conta com 2.939 CEIs, que funcionam de forma direta (gestão da prefeitura) ou indireta (gestão de mantenedoras).

*Estagiário do R7, sob supervisão de Ana Vinhas