Novo Coronavírus

São Paulo Dois são presos por comercializar máscaras falsas contra covid-19

Dois são presos por comercializar máscaras falsas contra covid-19

Cerca de 15 mil produtos tinham especificações da N95, mas não protegiam contra o coronavírus. Dupla foi presa por estelionato

  • São Paulo | Rafael Custódio e Mariana Rosetti, da Agência Record

Dois homens foram presos por comercializar máscaras falsas contra a covid-19

Dois homens foram presos por comercializar máscaras falsas contra a covid-19

Divulgação / Polícia Civil de SP

Dois homens, de 41 anos, foram presos após serem flagrados comercializando máscaras falsas que não protegem contra a covid-19, no Pari, na zona leste de São Paulo, nesta segunda-feira (19).

Um dos suspeitos pegava informações e especificações das máscaras N95 para criar caixas dos protetores faciais falsificados. Ambos vendiam máscaras destinadas a funileiros e pintores, sem proteção comprovada contra o coronavírus, como se fossem o modelo amplamente recomendado pelas entidades de saúde.

Para que a venda não levantasse suspeitas, a dupla também falsificou as embalagens. As caixas diziam conter em seu interior máscaras N95 e possuíam até número de CNPJ, que pertencia a um bar, em Minas Gerais. No entanto, havia máscaras comuns, que não protegem contra o vírus, que já matou mais de 373 mil pessoas, segundo dados do Ministério da Saúde.

De acordo com o delegado Arariboia Fusita Tavares, do 12º Distrito Policial do Pari, a dupla foi presa em flagrante por estelionato. As máscaras faciais falsas eram compradas por, aproximadamente, R$ 0,30 e revendidas, segundo estima o delegado, a R$ 46.

Os estelionatários teriam mais de R$ 400 mil de lucro, tendo em vista que 15 mil máscaras foram apreendidas pela polícia.

A Polícia Civil investiga agora se o material chegou a ser revendido para hospitais e se outras pessoas estavam envolvidas no esquema. O caso foi registrado no 12º DP.

Últimas