Doria afirma que vai descontar salário de funcionários que aderirem à greve de sexta-feira

Prefeito avalia que reformar propostas pelo governo Temer são essenciais para o País 

Doria afirma que vai descontar salário de funcionários que aderirem à greve de sexta-feira

Dória afirma que não é possível uma legislação de 1940 ainda estar em vigor

Dória afirma que não é possível uma legislação de 1940 ainda estar em vigor

Charles Sholl/08.02.2017/Futura Press/Folhapress

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta terça-feira (25), em entrevista para a Super Rádio AM, que vai cortar o ponto dos funcionários da prefeitura que aderirem à greve geral convocada para a próxima sexta-feira (28) em todo o País.

— Eu não apoio esse movimento. [...] Se não trabalhar, vai ter um dia a menos do salário.

Doria destacou que as reformas trabalhista e previdenciária propostas pelo presidente Michel Temer são essenciais para a retomada da geração de empregos no País.

— As reformas são importantes exatamente para gerar emprego, gerar oportunidades e melhorar a condição de vida dos brasileiros. Se não fizermos as reformas, o Brasil não cresce, não gera mais empregos e não vai se desenvolver.

Quais serviços serão afetados com a greve geral de sexta-feira?

Na avaliação do tucano, não é possível que uma legislação de 1940 ainda esteja em vigor 80 anos depois.

— É um atraso, um retrocesso. Por isso que muitos empregos são perdidos ou não são gerados. [...] É falso imaginar que ela [legislação] protege o trabalhador. Ela prejudica o trabalhador à medida que você não gera mais empregos.