Doria anuncia amanhã posição de SP sobre decreto de Bolsonaro

Presidente da República editou na segunda-feira decreto em que considera academias, salões de beleza e barbearias serviços essenciais

Academias estão fechadas em SP desde março

Academias estão fechadas em SP desde março

Flavio Corvello/Futura Press/Estadão Conteúdo - 19.3.2020

Integrantes do governo de São Paulo avaliam qual será a posição do estado em relação ao decreto editado na segunda-feira (11) pelo presidente Jair Bolsonaro sobre atividades essenciais durante a pandemia. O texto inclui academias salões de beleza e barbearias como serviços que devem funcionar em todo o país.

O governador João Doria vai anunciar na quarta-feira (13) qual será a determinação que vai valer em São Paulo.

Desde 20 de março, esses serviços estão fechados na capital paulista. No estado, a restrição passou a valer em 24 de março.

O decreto pegou de surpresa até o ministro da Saúde, Nelson Teich. Durante entrevista coletiva, na noite de segunda-feira, ele foi questionado sobre o assunto e negou que a área da saúde tenha discutido essa decisão.

Em abril, o STF (Supremo Tribunal Federal) já havia decidido que cabe a estados e municípios definir as medidas de isolamento social.