Doria critica governo federal e diz que 'ditadura não voltará'

Governador de São Paulo critica falas de Bolsonaro e diz: "Precisamos de um governo de construção nacional, não de desconstrução"

João Doria diz que governo federal está ausente na condução da pandemia

João Doria diz que governo federal está ausente na condução da pandemia

Divulgação

O governador de São Paulo, João Doria, criticou nesta sexta-feira (29) a condução da crise provocada pelo novo coronavírus no país pelo governo federal. "Mesmo nessa semana em que o Brasil se tornou o epicentro da pandemia, o governo federal se mostra ausente no principal problema do país, na solidariedade aos mortos e aos enfermos." 

Leia mais: Flexibilização em SP não é motivo para sair de casa sem necessidade

Doria afirmou ainda, durante coletiva de imprensa, realizada no Palácio dos Bandeirantes, que São Paulo vive em “tempos de exceção”, assim como diversos países do mundo. “Estamos trabalhando para encontrar soluções para essa crise e para diminuir a recessão econômica em nosso estado. Vivemos a mais grave crise dos últimos cem anos”, afirmou.

Leia também: Guedes critica tensão entre Poderes: 'Se briga a bordo do barco, naufraga'

"Ouvimos palavras e palavrões contra o Supremo Tribunal Federal, contra a imprensa, contra instituições e contra a democracia, conta a paz e o equilíbrio", afirmou Doria se referindo aos últimos pronunciamentos do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). 

"Ouvimos palavras de ofensa contra pessoas perseguidas contra o nazismo. Vamos parar com essa marcha à insensatez e respeitar o ser humano. Precisamos de um governo de construção nacional, não de desconstrução nacional. A ditadura não vai voltar ao Brasil, não deixaremos."