Doria diz que não fará "aplicação generalizada" de cloroquina

Governador de SP alega que uso em pacientes leves não é recomendado pela ciência. Novo protocolo foi divulgado nesta quarta pelo governo federal

João Doria, governador de São Paulo

João Doria, governador de São Paulo

Divulgação

O governador de São Paulo, João Doria disse nesta quarta-feira (20) que não adotará o uso da cloroquina em pacientes leves. Um novo protocolo divulgado pelo Ministério da Saúde nesta quarta prevê os pacientes com covid-19 poderão autorizar uso de cloroquina durante o tratamento e indica dosagens a serem adotadas em casos leves e moderados.

Saiba como se proteger e tire suas dúvidas sobre o novo coronavírus

O paciente terá de assinar um termo de autorização. O documento informa que o doente está ciente de que não há garantia de resultados positivos e que o medicamento pode inclusive agravar a condição clínica, pela falta de estudos que comprovem benefícios clínicos.

“Nós não faremos distribuição nem aplicação generalizada da cloroquina. Por quê? Porque a ciência não recomenda, a ciência não orienta esse procedimento e, em São Paulo, nós seguimos o que a ciência determina”, afirmou Doria durante entrevista coletiva.