São Paulo Doria e Covas lamentam explosão que matou dezenas no Líbano 

Doria e Covas lamentam explosão que matou dezenas no Líbano 

Governador do estado de São Paulo e prefeito da capital emitiram nota de pesar sobre a tragédia e em solidariedade à comunidade libanesa 

  • São Paulo | Do R7

Vista de área atingida pela explosão em Beirute

Vista de área atingida pela explosão em Beirute

Wadel Hamzeh/EFE/EPA - 04.08.2020

O governador do estado de São Paulo, João Doria, e o prefeito da capital, Bruno Covas, lamentaram a explosão ocorrida em Beirute, no Líbano, que deixou mais de 70 pessoas mortas e milhares feridas na tarde desta terça-feira (4).

A principal suspeita é que explosão tenha sido provocada por 2.750 toneladas nitrato de amônio. O produto químico é comumente utilizado na fabricação de fertilizantes e inseticidas, mas já foi usado em atentados, como o de Oklahoma.

A onda de impacto da megaexplosão foi tão forte que a sensação foi de um terremoto de 4.5 na escala richter. Além dos mortos e feridos pelo fogo, milhares de pessoas ficaram feridas por estilhaços de objetos e vidros.

"Quero manifestar a solidariedade de São Paulo à população de Beirute e à comunidade libanesa do nosso Estado e do Brasil, em especial, aos familiares que perderam pessoas queridas nessa tragédia", publicou Doria no Twitter. 

Os hospitais de Beirute estão lotados de vítimas e familiares em busca de atendimento. O cenário é semelhante à destruição provocada em tempos de guerra. Nas redes sociais, uma campanha está convocando as pessoas para doarem sangue. Os hospitais não possuem estoque suficiente para atender a todos.

Covas enviou uma nota em que expressa solidariedade ao povo libanês, aos moradores da cidade de Beirute e à comunidade libanesa em São Paulo. "Quero externar minha tristeza e manifestar minha solidariedade a todos os libaneses, em especial a famílias das vítimas e dos feridos. Tenho certeza que falo em nome de todos os cidadãos de São Paulo, em razão dos laços de amizade e respeito que unem nossas cidades", declarou o prefeito.

Últimas