Doria elogia trabalho de Mandetta e faz pedido: 'resista'

Ministro da Saúde tem enfrentado pressões por posições que divergem das defendidas pelo presidente Jair Bolsonaro na pandemia do coronavírus

Mandetta participou de entrevista ao lado de Doria, em SP, em março

Mandetta participou de entrevista ao lado de Doria, em SP, em março

Ettore Chiereguini/Futura Press/Estadão Conteúdo - 13.3.2020

O governador de São Paulo, João Doria, fez um elogio ao trabalho do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, no enfrentamento ao avanço do coronavírus no Brasil

"O ministro tem sido dedicado, correto, fluido nas informações com os estados, todos eles, eu sou testemunha disso. Não só o ministro, como também os secretários-executivos do Ministério da Saúde têm sido corretos. [...] A certeza de que o seu esforço é reconhecido por todos, pelo mundo da ciência, pelo mundo da medicina, pelos governadores", afirmou em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira (3). 

Leia também: Bolsonaro diz que Mandetta não tem ‘humildade’, mas não o demitirá

Doria também fez um apelo a Mandetta: "Resista, ministro, aos despreparados. A sua resistência como ministro da Saúde do Brasil está ajudando a salvar vidas de milhares de brasileiros. Os brasileiros estarão ao seu lado e reconhecendo que o seu esforço ajuda a salvar vidas."

O ministro tem adotado posicionamento divergente do presidente da República, Jair Bolsonaro, o que criou atrito entre a equipe da Saúde e integrantes do governo.

A principal discordância é sobre as medidas de distanciamento social, defendida pelo ministério como forma de preparar a estrutura de saúde e evitar uma explosão de casos de covid-19 sem que os hospitais possam ter capacidade para atendimento.

Já o presidente defende a reabertura de todo o comércio para minimizar os prejuízos econômicos.

Também nesta sexta-feira, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, afirmou que o ministro da Saúde tem garantido o apoio dele e do Congresso.

Para Maia, apesar das bravatas de Bolsonaro, ele não tem coragem de tirar Mandetta e mudar a política que o ministro vem conduzindo no Ministério da Saúde.

"Toda vez que Bolsonaro vem a público criticar Mandetta, mais atrapalha do que ajuda. Mandetta tem tranquilidade para não sair do trilho por pressão do presidente." E ironizou: "Covid-19 não é uma gripinha, Alcolumbre [presidente do Senado, Davi Alcolumbre, que testou positivo para o coronavírus] vai dar um depoimento sobre isso."

Na segunda-feira (30), o ministro-chefe da Casa Civil, Walter Braga Netto, negou que houvesse planos do presidente para demitir Mandetta, mas o ministro da Saúde, que estava ao lado, ironizou a declaração.