É falso que Polícia Militar prestou continência a manifestantes em SP

De acordo com Secretaria de Segurança Pública, profissionais prestaram homenagem para um soldado da corporação que morreu durante o trabalho

Manifestantes fazem protesto na avenida Paulista, em frente ao prédio da FIESP

Manifestantes fazem protesto na avenida Paulista, em frente ao prédio da FIESP

Van Campos / Estadão Conteúdo / 24.05.2020

Um vídeo que circula nas redes sociais afirma que integrantes da Polícia Militar do Estado de São Paulo prestaram continência aos manifestantes presentes no ato realizado neste domingo (24) na avenida Paulista, no centro da capital. No entanto, a informação é falsa.

De acordo com a SSP (Secretaria de Segurança Pública), os policiais que estavam no protesto prestaram uma homenagem a um soldado da corporação que morreu. “A cerimônia é uma tradição há anos na Polícia Militar para homenagear os heróis da instituição”, diz a nota.

Leia mais: SP chega a 6.163 mortes por coronavírus e supera 82 mil casos

As imagens foram publicadas por diversos perfis no Twitter. Em um deles, o autor diz que “não consegue entender o gesto, mas a PM (inaudível) está batendo continência talvez pro movimento”. “Me parece que a polícia tá apoiando o governo (Jair) Bolsonaro. A polícia tá cumprimentando o povo e o povo tá cumprimentando a polícia (sic)”. Em outro, um participante diz que a “polícia está batendo continência pro povo”.

No entanto, os policiais que estavam na manifestação prestaram homenagem ao soldado Lucas Alexandre Leite, de 25 anos, que morreu em serviço na noite deste sábado (23), na zona leste da cidade de São Paulo.

O soldado fazia patrulhamento junto com um colega quando desconfiaram de um carro que trafegava em alta velocidade e iniciaram a perseguição. Ao passarem por uma lombada, o PM que conduzia a viatura perdeu o controle e colidiu com o veículo na entrada de um condomínio na rua Américo Sugai, na Vila Jacuí. Leite foi socorrido ao hospital Santa Marcelina, em Itaquera, mas não resistiu aos ferimentos.

Durante o sepultamento, realizado do Mausoléu da PM, localizado no centro, policiais do 2º Batalhão, ao qual pertence a vítima, o honraram com continência individual e toque de silêncio.

Veja também: PM morre e colega fica ferido em perseguição na zona leste de SP

A cerimônia ocorreu de forma breve, segundo a SSP, diferente do que é normalmente realizado, “devido a situação sanitária em que o país se encontra e na impossibilidade de reunir muitas pessoas nesse último ato que merece um PM que dedicou a vida em prol da população”.

Ainda segundo a pasta, os policiais do serviço operacional também prestaram homenagem. “Pararam as viaturas, acionaram as sirenes e prestaram continência durante um minuto”, informa.

Confira: Brasil tem 22.666 mortes e 363.211 casos confirmados de covid-19

Os vídeos foram gravados durante ato realizado em frente ao prédio da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), na avenida Paulista. Os manifestantes expuseram faixas, cartazes e proferiram grito de ordem para a reabertura da economia e contra o isolamento social. 

A medida foi tomada pelo governador João Doria (PSDB) para conter o avanço do novo coronavírus. O Estado de São Paulo chegou, neste domingo, a 6.163 mortes por covid-19, com 118 óbitos confirmados nas últimas 24 horas. Já são 82.161 infectados, registrados em 508 municípios, o que equivale a 78% do território estadual. Destes, 236 cidades tiveram uma ou mais vítimas fatais da doença.

Mais: Taxa de isolamento social sobe na capital paulista e no Estado de SP

A taxa de ocupação dos leitos de UTI reservados para atendimento a covid-19 é de 75,7% no Estado e 91,8% na grande São Paulo, de acordo com a Secretaria de Saúde. Após o feriado prolongado, o governo deve anunciar as mudanças da atual quarentena, que termina no próximo 31.

O vídeo também foi publicado pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). "A Polícia Militar de São Paulo nunca decepciona, sempre dá o exemplo", escreveu o parlamentar.