Coronavírus

São Paulo Em meio ao tráfico de drogas, Cracolândia registra aglomerações

Em meio ao tráfico de drogas, Cracolândia registra aglomerações

Após decisão da Justiça, MP recorre em ação que pede pela retirada dos moradores da região para evitar contágio do novo coronavírus

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Imagens aéreas mostram aglomerações constantes na Cracolândia

Imagens aéreas mostram aglomerações constantes na Cracolândia

Reprodução/ Record TV

Em meio à pandemia do novo coronavírus, a Cracolândia continua registrando cenas de tráfico de drogas a céu aberto, com aglomerações entre os usuários de drogas que vivem na região do centro da capital paulista. As informações são da Record TV, que flagou o comércio de entorpecentes nesta terça-feira (19).

Leia mais: Saiba como se proteger e tire suas dúvidas sobre o novo coronavírus

No dia 9 de maio, o promotor Cassio Roberto Conserino, que atua na 6ª Vara Criminal da Capital, entrou com um pedido de medida cautelar para retirada de dependentes químicos envolvidos no Projeto Redenção, da Prefeitura de São Paulo, da região da Cracolândia.

Segundo Conserino, “as pessoas que ali frequentam em condições de irrestrito agrupamento também são vetores de contágio e profusão da doença”.

O promotor reforça ainda que o Estado de São Paulo é o epicentro do coronavírus no Brasil. Até o momento são 4.118 óbitos e 51.097 casos confirmados da doença.

Entretanto, a juíza Erika Soares de Azevedo Mascarenhas entendeu que as pessoas em situação de rua que frequentam a Cracolândia já são assistidas pelo poder público e negou o pedido do Ministério Público.

Diante da determinaçao da magistrada, o promotor Cássio Conserino impetrou uma ação cautelar para retirar dependentes químicos da Cracolândia e disse que, apesar da negativa da Justiça para a solicitação, já entrou com um recurso e aguarda por uma resposta.

Morte dentro da Cracolândia

Um homem teve a morte registrada no dia 8 de abril na região, por causas naturais. O homem, com tuberculose, teria abandonado o tratamento.A vítima, Jeferson Aparecido dos Santos, teria 40 anos. 

Em nota, a SSP-SP (Secretaria da Segurança Pública de São Paulo) disse que a causa da morte foi natural e, por isso, o caso foi encerrado. A morte foi registrada no 77º DP (Santa Cecília).

Últimas